Angola: José Eduardo dos Santos poderá ser ouvido em tribunal | Angola | DW | 09.12.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Angola: José Eduardo dos Santos poderá ser ouvido em tribunal

Ex-chefe de Estado angolano poderá ser ouvido no julgamento que envolve o filho "Zenu", que começou esta segunda-feira em Luanda. Caso está relacionado com alegada transferência irregular de 500 milhões de dólares.

A solicitação para ouvir José Eduardo dos Santos foi feita pelo advogado de um dos arguidos no processo, o ex-governador do Banco Nacional de Angola (BNA), Valter Filipe.

A defesa quer ouvir o ex-chefe de Estado angolano para saber como e em que contexto Valter Filipe fez uma suposta transferência irregular de 500 milhões de dólares para um banco em Londres, em 2017. O Ministério Público angolano negou o pedido, mas o juiz da causa João Pitra aceitou que José Eduardo dos Santos seja ouvido como declarante.

"Não se pode chegar à conclusão a que se chegou na acusação sem ouvir a pessoa que na altura mandava neste país, para dizer se realmente mandou ou não fazer aquela operação", afirmou esta segunda-feira (09.12) Sérgio Raimundo, advogado do antigo governador do BNA, no início do julgamento do caso.

"Não estou a dizer que ele virá cá confirmar a tese da defesa. Poderá até dizer o contrário, poderá dizer que não mandou ou que mandou, mas não naqueles termos. É necessário que, em homenagem ao chamado princípio da verdade material, se ouçam todas as pessoas que tiveram alguma intervenção em todo este processo."

Ouvir o áudio 02:27

José Eduardo dos Santos poderá ser ouvido em tribunal

Perguntas por escrito

José Eduardo dos Santos está fora de Angola há mais de cinco meses, por motivos de saúde. Mas a defesa de Valter Filipe sugeriu ao tribunal que envie uma lista de questões ao ex-chefe de Estado, que ele poderia responder por escrito.

"Acredito que o engenheiro José Eduardo dos Santos, enquanto antigo titular do poder executivo, tem consciência que deve colaborar com a Justiça, e espero que ele venha colaborar", afirmou o advogado Sérgio Raimundo.

Além do ex-governador do Banco Nacional de Angola, o processo envolve também José Filomeno dos Santos, filho do ex-chefe de Estado, que presidiu ao Fundo Soberano de Angola. Valter Filipe e "Zenu" são acusados dos crimes de branqueamento de capitais e peculato. No banco dos réus estão ainda o empresário Jorge Gaudens e o ex-diretor do Departamento de Gestão de Reservas do BNA, António Samalia Bule.

Na sessão de início do julgamento, esta segunda-feira, o arguido Valter Filipe teve um problema súbito de saúde e foi assistido por um médico. O advogado de defesa Sérgio Raimundo diz que já alertou várias vezes o tribunal para o estado de saúde do seu cliente, mas nunca foi ouvido.

"Ele realmente tem problemas de saúde e há muito requeremos a este tribunal. Infelizmente, não sei por que razões não dão importância às pessoas que estão na condição de arguidos", lamentou a defesa do ex-governador do Banco Nacional de Angola.

Leia mais