Afeganistão: Explosão junto ao aeroporto de Cabul | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 26.08.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Afeganistão: Explosão junto ao aeroporto de Cabul

Duas explosões ocorridas esta tarde junto ao aeroporto internacional Hamid Karzai, em Cabul, onde se aglomeram milhares de pessoas, causaram vários mortos e feridos. Há militares dos EUA entre as vítimas mortais.

O ataque bombista ocorreu em dois pontos distintos: junto a um hotel da capital afegã e perto de um dos portões do aeroporto de Cabul, onde se aglomeram milhares de afegãos que tentam fugir do país antes do final da ponte aérea organizada pelos Estados Unidos e os seus parceiros da NATO.

Vários balanços de vítimas estão a ser avançados por diferentes fontes. O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, disse que os atentados de hoje mataram entre 13 e 20 pessoas e provocaram pelo menos 52 feridos. Fontes hospitalares locais citadas pela imprensa afegã disseram que o ataque provocou pelos menos 15 mortos e mais de 60 feridos. A BBC fala em 60 mortos e pelo menos 140 feridos.

O Pentágono confirmou que há vários norte-americanos e diversos civis afegãos entre as vítimas das duas explosões. "Podemos confirmar uma explosão no exterior do aeroporto de Cabul", escreveu ao início da tarde o porta-voz John Kirby na rede social Twitter.

Até ao momento é desconhecida a autoria do ataque. Segundo avançaram as autoridades norte-americanas, a explosão terá sido provocada por um bombista suicida.

Os meios de comunicação locais divulgaram imagens mostrando vários corpos no local do ataque, bem como pessoas feridas a serem levadas para hospitais.

Afghanistan | Kabul Airport Explosion

Fontes hospitalares locais dizem que o ataque provocou pelos menos 15 mortos e mais de 60 feridos

Talibãs condenam ataque

Os talibãs condenaram o ataque que provocou várias mortes e feridos por duas explosões junto do aeroporto de Cabul, lembrando que o atentado ocorreu numa área controlada pelas forças militares dos EUA.

O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, disse que o seu grupo "condena veementemente" o ataque no aeroporto de Cabul, "cuja segurança está nas mãos das forças americanas", e disse que o Emirado Islâmico está a prestar "muita atenção à segurança e proteção do seu povo".

Mujahid prometeu ainda que os autores do ataque "serão severamente dissuadidos". Um funcionário dos EUA disse hoje que "acredita definitivamente" que o ataque junto ao aeroporto de Cabul foi executado pelo grupo Estado Islâmico (EI).

Afghanistan | Satellitenbild Kabul Airport

Imagem de satélite do aeroporto de Cabul

"Risco iminente" de ataque terrorista

Os Estados Unidos e países aliados já tinham apelado para que os cidadãos deixassem o aeroporto de Cabul devido a ameaças de ataque do grupo terrorista "Estado Islâmico" (EI). Milhares de pessoas continuam a chegar ao aeroporto para tentar fugir do país.

Avisos semelhantes relativos a "ameaças de segurança" foram emitidos pela Alemanha, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia na noite de quarta-feira (25.08).

Assistir ao vídeo 02:07

Caos no aeroporto de Cabul após tomada de poder pelos talibãs

Os alertas foram divulgados depois de o secretário de Estado americano, Antony Blinken, ter dito que os rebeldes talibãs se comprometeram a autorizar a saída de cidadãos dos Estados Unidos e afegãos em risco no país após o dia 31 de agosto.

Na quarta-feira (25.08), a Alemanha também disse ter recebido garantias dos talibãs de que os afegãos poderiam deixar o país em voos comerciais, após a retirada final das tropas dos EUA.

A chanceler alemã, Angela Merkel, cancelou uma visita a Israel agendada para o próximo fim de semana por causa da situação no Afeganistão, anunciou hoje o Governo alemão.

"Os acontecimentos desta tarde mostram que o risco é imenso", disse a chanceler alemã. "Ainda não conhecemos todos os pormenores, mas os terroristas tinham como alvo as pessoas que esperam fora do aeroporto na esperança de sair do país", disse Angela Merkel, que condenou o ataque "absolutamente desprezível".

Alemanha e Países Baixos concluíram evacuação

O Governo alemão anunciou hoje que concluiu o processo de retirada dos seus soldados e do pessoal diplomático do Afeganistão. A ministra da Defesa, Annegret Kramp-Karrenbauer, divulgou um comunicado em que anunciou que foram já retirados "todos os soldados, membros do Ministério dos Negócios Estrangeiros e da polícia federal" que se encontravam em Cabul.

Assistir ao vídeo 00:27

Merkel sobre o Afeganistão: “Erramos ao avaliar a situação”

Kramp-Karrenbauer mostrou-se "aliviada" pelo facto de saber que os soldados alemães tinham saído do Afeganistão, "depois de terem deixado o espaço aéreo afegão em segurança".

A diplomacia holandesa também anunciou que realizou nas últimas horas o voo final de evacuação de Cabul, respondendo ao pedido das forças militares norte-americanas, para deixarem o aeroporto da capital afegã.

"O compromisso com os aliados internacionais continua, agora, a ser apoiar o povo afegão", disse Sigrid Kaag, ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos.

"Nas próximas horas, terminarão as operações de evacuação. Agora, é altura de passar para a fase dois, com uma perspetiva de curto e médio prazo, ordenada, estruturada e estratégica", disse também o ministro dos Negócios Estrangeiros italiano, Luigi Di Maio.

O Reino Unido vai manter as suas operações no aeroporto de Cabul, apesar dos atentados de hoje, anunciou o primeiro-ministro britânico. "Vamos continuar a nossa operação. E estamos agora a chegar ao fim, ao fim mesmo", disse Boris Johnson.  

Leia mais