1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Blindado em frente ao Capitólio
Blindado em frente ao Capitólio em dia de manifestação de apoiadores de TrumpFoto: Leigh Vogel/newscom/picture alliance
PolíticaEstados Unidos

Washington em alerta para atos pró-Trump

18 de setembro de 2021

Capital dos EUA reforça segurança diante de manifestações de apoio aos cerca de 600 acusados de participar de invasão do Capitólio. Polícia cerca sede do Congresso americano temendo novos atos de violência.

https://www.dw.com/pt-br/washington-em-alerta-para-atos-de-apoiadores-de-trump/a-59225538

Centenas de policiais patrulhavam os arredores do Capitólio dos EUA na manhã neste sábado (18/09), momentos antes de uma manifestação de apoiadores do ex-presidente americano Donald Trump em apoio aos que invadiram o prédio em 6 de janeiro.

Uma cerca negra de 2,44 metros de altura que cercou o edifício de cúpula branca por cerca de seis meses após o ataque está de volta, 100 soldados da Guarda Nacional estão de prontidão e agentes de segurança realizam verificações adicionais nos viajantes que chegam no aeroporto mais próximo de Washington, em um esforço para prevenir violência.

A membros da polícia do Capitólio com capacetes de choque e armados com cassetetes e pistolas assumiram posições fora da cerca. Ônibus municipais trazendo policiais para o local congestionaram as ruas próximas.

Ao contrário de 6 de janeiro, quando o Congresso estava em sessão para certificar
eleição do democrata Joe Biden, o Capitólio está praticamente vazio neste sábado, com a maioria dos políticos fora da cidade.

Promessa de ato pacífico

Os organizadores do ato "Justiça para J6" dizem esperar um evento pacífico, mas o chefe de polícia do Capitólio dos EUA, J. Thomas Manger disse a repórteres na sexta-feira que houve ameaças de violência ligadas à manifestação e que polícia trabalharia para evitar confrontos entre os apoiadores e oponentes de Trump.

O ato dos apoiadores de Trump foi agendado para começar na Union Square, seguindo em passeata rumo ao Capitólio. A dos que repudiam o ex-mandatário, incluindo grupos antifascistas, foram programadas para começar na mesma hora, ao meio-dia deste sábado (13h em Brasília).

Os manifestantes contra Trump se reunião na Freedom Plaza, a cerca de 1,6 quilômetro dos apoiadores de Trump e onde planejam promover um ambiente festivo com comida, música e atividades educativas, segundo informou a aliança dos grupos em comunicado.

Homem com bandeira dos EUA conversa com outro homem com Capitólio ao fundo
Manifestantes durante concentração para protestos na capital americanaFoto: Brynn Anderson/AP/dpa/picture alliance

Apoio aos invasores

O objetivo dos defensores de Trump é manifestar apoio às 600 pessoas acusadas de participação na invasão ao Congresso em 6 de janeiro, quando tentaram impedir a ratificação da vitória do candidato democrata Joe Biden nas eleições de novembro de 2020.

Cerca de 600 pessoas foram indiciadas por participar dos atos violentos de 6 de janeiro, que se seguiu a um discurso de Trump em um comício próximo, onde ele reiterou suas alegações de que sua derrota eleitoral foi o resultado de uma fraude generalizada. Tais acusações foram rejeitadas por vários tribunais americanos, funcionários eleitorais estaduais e membros da própria administração de Trump.

Quatro pessoas morreram naquele 6 de janeiro, uma delas após levar um tiro disparado por um policial e três sucumbiram a emergências médicas. Um membro da polícia do Capitólio que foi atacado por manifestantes morreu no dia seguinte, e quatro policiais que participaram da defesa do Capitólio cometeram suicídio mais tarde. Mais de 130 policiais se feriram na ocasião.

Quase 50 pessoas até agora se confessaram culpadas das acusações relacionados à violência daquele dia, nove admitindo ter cometido crimes. A grande maioria dos acusados aguarda julgamento em liberdade, mas cerca de 75 ainda estão sob custódia, de acordo com registros judiciais.

md (EFE, Reuters)