1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
SaúdeUruguai

Uruguai vai dar 3ª dose da Pfizer para quem tomou Coronavac

28 de julho de 2021

Ministério da Saúde do país informa que aplicação será feita de forma escalonada, pelo menos 90 dias após a segunda dose. No Brasil, governo afirma que encomendou estudo para avaliar necessidade de terceira dose.

https://p.dw.com/p/3yDNf
Horizonte em Montevidéu, no Uruguai
Desde o começo da pandemia, o Uruguai relatou 380.793 casos de infecção pelo vírus Sars-Cov-2 e 5.941 mortesFoto: Matilde Campodonico/AP Photo/picture alliance

O Uruguai aprovou a aplicação de uma terceira dose de vacina contra a Covid-19 em pessoas inoculadas com Coronavac, desta vez com o imunizante da Pfizer, de acordo com anúncio feito nesta quarta-feira (28/07) pelo Ministério de Saúde Pública (MSP).

Segundo o MSP, a decisão vinha sendo estudada há várias semanas e foi tomada seguindo a recomendação da Comissão Nacional de Assessoria de Vacinas e o grupo criado com a finalidade de combater a pandemia do coronavírus.

A terceira dose será administrada de forma escalonada, e os inoculados devem ter tido um mínimo de 90 dias entre a segunda dose de Coronavac e a nova dose com a vacina da Pfizer. Será preciso fazer uma nova marcação pela internet ou pelo telefone, como aconteceu para receber as duas primeiras injeções, mas a agenda ainda não foi aberta.

Na terça-feira, o MSP já havia anunciado a aprovação de uma terceira e até quarta dose de vacina para pessoas com imunossupressão moderada e grave.

De acordo com o aplicativo móvel CoronavirusUy, até as 16h04 (local e de Brasília) 2.553.018 pessoas haviam recebido ao menos uma dose de vacina contra a Covid-19, ou 72,06% da população, enquanto 2.184.123 (61,65%) completaram o processo de imunização com duas injeções.

Os altos índices de imunização andam de mãos dadas com uma queda acentuada dos contágios, mortes e internações em terapia intensiva (UTI) por covid registrada desde junho.

O país de 3,5 milhões de habitantes registra até esta quarta-feira 2.404 casos ativos, uma queda significativa desde o pico alcançado no final de maio, quando chegou a ter cerca de 37 mil pessoas com a doença. Depois de permanecer por várias semanas como a nação com mais mortes diárias em relação à sua população, com um recorde de 79 mortes em 15 de abril, nos últimos sete dias apresenta uma média de seis mortes diárias.

Desde o começo da pandemia, o Uruguai relatou 380.793 casos de infecção pelo vírus Sars-Cov-2 e 5.941 mortes.

No Brasil, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta quarta-feira que o governo encomendou uma pesquisa para avaliar a necessidade de uma possível terceira dose da vacina para quem tomou Coronavac.

O estudo, que vai ocorrer em parceria com a Universidade de Oxford, deve começar na semana que vem, com 1.200 participantes, e deve ser finalizado em novembro. A pesquisa também vai analisar a mistura de doses de diferentes laboratórios.

jps (Efe, AFP, ots)

Pular a seção Mais sobre este assunto