UE pede que Trump respeite acordo nuclear iraniano | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 14.11.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

UE pede que Trump respeite acordo nuclear iraniano

Em comunicado, ministros do Exterior de países-membros da União Europeia reiteram comprometimento com pacto. Magnata disse durante campanha à Casa Branca que iria rescindir tratado.

Ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, conversa com colega da Finlândia, Timo Soini durante reunião em Bruxelas

Ministro alemão do Exterior, Frank-Walter Steinmeier, conversa com colega da Finlândia, Timo Soini

Os ministros do Exterior da União Europeia (UE) reafirmaram nesta segunda-feira (14/11) seu comprometimento com o acordo nuclear iraniano, alcançado em julho de 2015, e o restabelecimento das relações com país, apesar de o presidente americano eleito, Donald Trump, ter declarado que pretende rescindir o tratado.

"A manutenção dos compromissos por todos os lados é uma condição necessária para a reconstrução da confiança e possibilita a continuação da melhora gradual e constante das relações entre União Europeia, seus países membros, e o Irã", afirmaram os ministros em comunicado.

As lideranças destacaram ainda que o acordo nuclear assinado no ano passado por Irã, UE, Estados Unidos, Rússia e China precisa ser respeitado. O comunicado foi divulgado após uma reunião entre os ministros que visava debater uma estratégia sobre como lidar com Trump.

"Pior tratado da história"

Durante a campanha eleitoral, o magnata prometeu rescindir o acordo assinado pelo presidente americano Barack Obama, afirmando que ele foi o pior tratado já negociado na história e o classificando uma "desgraça". Especialistas, porém, consideram o acordo o maior avanço diplomático do segundo mandato do democrata.

O acordo limita o programa nuclear iraniano e, em troca, o Ocidente aliviria as sanções impostas ao país. O tratado foi assinado depois de um impasse que durou anos e negociado em meio a tremores de que o Irã estivesse desenvolvendo armas nucleares, algo que o país nega.

"A União Europeia está comprometida a apoiar a implementação total e efetiva [do acordo] ao retirar as sanções econômicas e financeiras e ao incentivar o setor privado e operadores econômicos, especialmente bancos, a promover o crescimento por meio de comércio e investimentos", destacou o comunicado europeu.

Os ministros saudaram ainda o fato de o governo americano estar emitindo licenças para a exportação de aviões de passageiros comerciais, além de peças e serviços relacionados ao Irã e afirmaram esperar que essa iniciativa continue no próximo governo. 

Apesar de ter prometido a rescisão do acordo, Trump admitiu recentemente que seria difícil desfazer tratados consagrados em resoluções da ONU.

CN/rtr/afp

Leia mais