Turquia recebe ministro alemão do Exterior em momento tenso | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 15.11.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Turquia recebe ministro alemão do Exterior em momento tenso

Na primeira visita de Steinmeier ao país desde o golpe frustrado de julho, Anistia Internacional pede maior atuação da Alemanha contra as repetidas violações dos direitos humanos praticadas pelo governo turco.

O ministro do Exterior da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier (SPD), encontrou-se nesta terça-feira (15/11) em Ancara com seu homólogo turco, Mevlüt Cavusoglu. A visita – a primeira de Steinmeier desde o golpe frustrado de julho – acontece num momento de tensão entre os dois países, sobretudo devido às prisões em massa e repressão massiva a jornalistas, críticos e oposicionistas praticada pelo governo turco desde então.

Justificando sua viagem, em entrevista ao tabloide Bild, Steinmeier argumentara que, justamente "em tempos difíceis como este", não se pode evitar o diálogo. Quanto à intenção de reintroduzir a pena de morte no país, ele advertiu o governo turco que este seria um "sinal claro de que deseja fechar definitivamente o 'Dossiê UE '" – numa referência à perspectiva de filiação do país ao bloco europeu, perseguida por Ancara há quase três décadas.

A organização de direitos humanos Anistia Internacional (AI) pediu a Steinmeier que "ofereça ajuda concreta a jornalistas, ativistas e membros da oposição ameaçados" na Turquia. A especialista da AI Marie Lucas comentou à agência de notícias AFP que o governo alemão "finalmente resolveu, nas últimas semanas e depois de um silêncio demasiado longo, criticar as violações dos direitos humanos na Turquia". Agora seria importante a crítica ser "apresentada de forma consistente, e não varrida para debaixo do tapete", por medo de se prejudicar o acordo sobre os refugiados.

Ao fim da reunião com Cavusoglu, o chefe da diplomacia alemã também recebeu um convite de última hora para se encontrar com o premiê Binali Yildirim e o presidente Recep Tayyip Erdogan. Pela manhã ele já havia se reunido na residência do embaixador alemão com representantes da sociedade civil turca, sobretudo com jornalistas e intelectuais em defesa dos direitos humanos, da liberdade de imprensa e dos direitos curdos. Mais tarde Steinmeier se encontrará com líderes da oposição.

Desde o golpe militar fracassado em meados de julho, as autoridades turcas prenderam cerca de 35 mil pessoas, e dezenas de milhares de funcionários públicos foram demitidos. De acordo com a Associação de Jornalistas da Turquia, 170 meios de comunicação foram fechados desde a tentativa de derrubar o governo Erdogan. Além disso, 150 jornalistas foram presos e revogaram-se 777 credenciais da imprensa.

IP/dpa/afp

 

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados