Trump apoia candidatura de Boris Johnson a premiê | Notícias internacionais e análises | DW | 01.06.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Trump apoia candidatura de Boris Johnson a premiê

Presidente considera ex-ministro do Exterior britânico "muito talentoso", que faria um trabalho "excelente". Johnson responde processo por mentir, durante campanha do Brexit, sobre transferências britânicas à UE.

Trump e Johnson beijam-se em cartaz da campanha anti-Brexit, em 2016

Trump e Johnson em cartaz da campanha anti-Brexit, em 2016

O presidente dos EUA, Donald Trump, manifestou apoio a Boris Johnson como novo líder conservador, afirmando que ele seria um "excelente" primeiro-ministro britânico, em entrevista publicada neste sábado (01/06) no tabloide britânico The Sun.

"Na verdade, eu estudei a coisa a sério, conheço os vários candidatos. Mas creio que Boris faria um trabalho bom. Creio que seria excelente. Gosto dele, sempre gostei dele", alegou Trump, qualificando o ex-ministro do Exterior como um político "muito talentoso".

No próximo dia 10, o Partido Conservador britânico inicia oficialmente o processo para eleger o novo líder "tory" e chefe do Executivo, após demitir Theresa May do governo, três dias antes. Mais de dez deputados conservadores se apresentaram para substituir May, num processo que deve terminar em meados ou fim de julho. Entre eles estão o ministro das Relações Exteriores, Jeremy Hunt, e o do Interior, Sajid Javid.

O líder americano recusou-se a revelar os nomes dos políticos conservadores que lhe teriam pedido apoio, embora se tenha expressado de forma favorável sobre Hunt. Paralelamente, criticou a ainda chefe de governo May por não defender devidamente os interesses nacionais.

Balão Baby Trump em protesto em Londres

"Baby Trump" ficou famoso desde a visita do americano à Inglaterra, e rodou mundo

Na segunda-feira, Trump inicia uma visita de Estado de três dias ao Reino Unido. A anterior, em julho de 2018, foi acompanhada por escárnio e protestos populares, assim como diversas gafes protocolares por parte do bilionário americano.

Boris Johnson aparece como favorito para suceder a May, num processo de várias votações entre os deputados, em que os candidatos serão gradativamente eliminados até só restarem dois, que devem, então, submeter-se ao voto dos afiliados conservadores.

Na última quarta-feira, um juiz ordenou que Johnson comparecesse perante o tribunal por mentir sobre as contribuições do país para a União Europeia na campanha do referendo de 2016.

Na campanha, em que defendeu o Brexit, o político chegou a dizer que o Reino Unido destinou 396 milhões de euros por semana ao bloco europeu. Devido a essa afirmação, Johnson enfrenta a acusação privada do ativista Marcus Ball de "má conduta em cargos públicos".

Os advogados representantes de Ball pediram que Johnson fosse responsabilizado pelo tribunal, argumentando que o político enganou deliberadamente os cidadãos durante a campanha antes do referendo realizado em 23 de junho de 2016. Além disso, o conservador teria reiterado essa mesma mensagem durante as eleições gerais de 2017.

AV/afp,lusa,dpa,ots

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | 
WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais