Trump anuncia novas taxas para punir México por imigração | Notícias internacionais e análises | DW | 31.05.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Trump anuncia novas taxas para punir México por imigração

Presidente americano estabelece impostos sobre produtos mexicanos, que podem subir mês a mês até chegar a 25%. Condição para revogação é que o país vizinho bloqueie fluxo migratório irregular.

O presidente dos EUA, Donald Trump, visa pressionar o México para deter fluxo de imigrantes ilegais na fronteira

O presidente dos EUA, Donald Trump, visa pressionar o México para deter fluxo de imigrantes ilegais na fronteira

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, surpreendeu ao anunciar nesta quinta-feira (30/05) que seu governo vai impor novas tarifas alfandegárias sobre todas as importações do México, até que, segundo ele, o país vizinho interrompa o fluxo de migrantes ilegais para território americano.

"Em 10 de junho, os Estados Unidos vão impor uma taxa alfandegária de 5% a todos produtos que entram em nosso país a partir do México, até o momento em que cessem os migrantes ilegais que vêm através do México para o nosso país ", anunciou Trump. "As tarifas alfandegárias vão aumentar progressivamente enquanto o problema da imigração clandestina não for resolvido", disse o presidente.

Os aumentos poderão chegar, segundo Trump, a 25%.

Com a decisão, Washington deixa clara a intenção de aumentar a pressão sobre o México no que diz respeito à imigração, mesmo que isso leve riscos ao acordo EUA-México-Canadá, um tratado comercial duramente negociado que era uma das principais bandeiras do governo Trump e visto como vantajoso para sua campanha à reeleição.

A medida arrisca trazer ameaças ainda maiores paras as complicadas relações comerciais entre os dois países, cujas economias são profundamente entrelaçadas.

Em nota, a Casa Branca divulgou um calendário para o aumento gradual das tarifas alfandegárias, que estará em vigor até que o fluxo de migrantes ilegais seja interrompido.

Segundo o comunicado, após o primeiro aumento, as tarifas devem subir para 10% no dia 1º de julho, aumentando progressivamente nos primeiros dias dos meses seguintes até chegar a 25% em 1º de outubro. 

Trump disse que os aumentos serão mantidos nos 25% "a menos e até que o México bloqueie substancialmente o fluxo ilegal de estrangeiros que chegam [aos EUA] através do seu território".

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, enviou nesta sexta-feira uma carta a Trump propondo que os dois países dialoguem ao invés de iniciarem um novo conflito. "Não quero o confronto [...] proponho que aprofundemos o diálogo, na procura de alternativas para o problema da imigração", escreveu.

"Problemas sociais não se resolvem com tarifas ou medidas coercitivas", disse López Obrador. Ele fez uma alusão a história dos EUA como uma país de imigrantes, afirmando que "a Estátua da Liberdade não é um símbolo vazio". O mexicano enviou uma delegação a Washington para negociar uma solução.

RC/lusa/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais