Trabalho de limpeza da Catedral de Colônia é único na Alemanha | Conheça os destinos turísticos mais famosos da Alemanha | DW | 18.07.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Trabalho de limpeza da Catedral de Colônia é único na Alemanha

O fluxo de visitantes na catedral exige milhares de euros na manutenção. Dos 60 funcionários responsáveis por esse trabalho, uma se destaca em especial: a restauradora encarregada da limpeza do interior.

default

Catedral atrai visitantes à cidade de Colônia

As torres da catedral reinam no céu de Colônia: majestosas e imponentes, elas chegam a desaparecer nas nuvens quando o tempo está fechado. Parte obrigatória do passeio é galgar até o topo de uma delas e sentir o vento forte.

Todo ano, cerca de 100 milhões de pessoas visitam a cidade às margens do Reno – e 6,5 milhões especialmente a catedral. Mas, além de enorme interesse e admiração, elas trazem consigo um monte de sujeira: o afluxo de turistas deixa marcas nas estátuas, no mármore, mosaicos e objetos de arte no interior da construção.

Do espanador à argamassa

Fotos zu einem Artikel über die Putzrestauratorin im Kölner Dom

Bettina Grimm em ação

A limpeza desses itens requer cuidado e conhecimento específicos. Um caso para a restauradora Bettina Grimm que, com ajuda do pequena arsenal que empurra num carrinho, cuida de manter a catedral limpa.

Aspirador, pincéis, espanador, lâmpada frontal, bisturi, esponjas e caneta de fibra de vidro são alguns dos instrumentos usados pela profissional. Quando a tarefa é mais de restauração, ela recorre até mesmo a argamassa e pigmentos.

O trabalho de Bettina Grimm lembra o de um arqueólogo: é meticuloso e requer muita sensibilidade. Munida de pincel e aspirador, ela remove cuidadosamente a poeira das valiosas estátuas. Produtos de limpeza são tabu.

60 funcionários em 6 mil metros quadrados

Cerca de 60 colegas colaboram com ela nos cuidados à catedral: pedreiro, escultor, reparador de telhado, montador de andaime, carpinteiro, pintor, eletricista, chaveiro, restaurador de vidro, especialistas em ourivesaria em ouro e prata.

Alguns estão a serviço exclusivo de Grimm, única profissional da Alemanha especializada nesse aspecto da restauração. Nos 6 mil metros quadrados de área interior, todos tentam amenizar o impacto do clima e da visita diária de 20 mil turistas à igreja de 800 anos.

Sexta-feira é dia de limpar os entalhes de madeira e aspirar as tapeçarias para a missa de domingo. "Em princípio, estou sempre correndo atrás do trabalho, pois o tempo é muito curto", conta a restauradora.

Colônia sem Catedral?!

Fotos zu einem Artikel über die Putzrestauratorin im Kölner Dom

Interior da catedral

Mas seu afã compensa: a catedral de Colônia é o local mais visitado na Alemanha. Para Josef Sommer, gerente da KölnTourismus, a cidade não seria a mesma sem seu monumento arquitetônico: "Aí nos faltaria nosso diferencial número um. A cidade foi moldada pela catedral. Ela está lá desde a Idade Média, desde que sua planta foi projetada."

Até que ficasse pronta, em 1880, 632 anos se passaram. Desde então, as duas torres de 150 metros de altura definem o perfil da metrópole. Graças a elas, durante alguns anos a catedral foi o prédio mais alto do mundo.

Em estilo alto gótico, a imponente construção recebeu o título de Patrimônio da Humanidade em 1996. E tornou-se marca registrada na cidade: pequenas e grandes empresas utilizam a imagem das torres em seus anúncios. Há quem diga que Colônia depende financeiramente de sua catedral.

5,5 bilhões de euros com turismo

Uma tese que Sommer pode confirmar com números eloquentes: "A movimentação turística gera um volume de 5,5 bilhões de euros. Então, se os turistas não viessem a Colônia para visitar a catedral, entre outros pontos, seriam 5,5 bilhões de euros a menos para a cidade."

Assim, vale a pena cada centavo que Colônia gasta com seu cartão-postal. E o meticuloso trabalho de limpeza de Bettina Grimm é, afinal de contas, um investimento no futuro da cidade.

Autor: Frank Gazon
Revisão: Augusto Valente

Leia mais