Suspeita de bomba fecha terminal de aeroporto em Copenhague | Notícias internacionais e análises | DW | 18.11.2015
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Suspeita de bomba fecha terminal de aeroporto em Copenhague

Polícia não encontra nenhum explosivo, e terminal é reaberto horas depois. Incidente ocorre após Dinamarca elevar o nível de alerta por temor de ataques terroristas.

Polícia fechou terminal 3 do aeroporto de Copenhague

Polícia fechou terminal 3 do aeroporto de Copenhague

A polícia da Dinamarca evacuou o prédio de um dos terminais do aeroporto de Copenhague nesta quarta-feira (18/11), após uma suspeita de bomba numa bagagem.

"O terminal 3 foi evacuado após uma bagagem suspeita ter sido encontrada perto do meio-dia. Não recebemos nenhuma ameaça direta", afirmou um porta-voz da polícia dinamarquesa. Horas depois, o terminal foi reaberto.

Especialistas em explosivos, bombeiros, policiais e ambulâncias foram enviados para o local. O trânsito de trens e metrôs com destino ao aeroporto também chegou a ser interrompido. O alarme, porém, era falso, e nada suspeito foi encontrado.

De acordo com a polícia, uma conversa entre dois homens sobre uma possível bomba acabou gerando o alerta. Os dois acabaram sendo detidos e disseram que a conversa era apenas uma brincadeira.

Alerta quase máximo

O incidente aconteceu algumas horas depois de a Dinamarca ter aumentado o nível de alerta no país para o segundo mais alto. "Depois dos ataques em Paris, a polícia dinamarquesa está aumentado o nível de prontidão para 'prontidão consideravelmente elevada'", afirmou o comunicado, que citou "a situação incerta em vários países europeus".

Em fevereiro, um homem de 22 anos abriu fogo num centro cultural onde um debate sobre o islã e a liberdade de expressão estava sendo realizado, matando um homem de 55 anos, mais tarde identificado como o documentarista Finn Noergaard. Horas depois, o mesmo atirador atacou uma sinagoga, matando um guarda judeu. O autor dos ataques foi morto pela polícia.

Além disso, as primeiras caricaturas de Maomé foram publicadas no jornal dinamarquês Jyllands-Posten, em setembro de 2005.

CN/ap/afp/dpa

Leia mais