Site identifica suspeito no caso Skripal como coronel russo | Notícias internacionais e análises | DW | 27.09.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Site identifica suspeito no caso Skripal como coronel russo

Grupo investigativo afirma que um dos dois suspeitos pela tentativa de assassinato do ex-espião russo e de sua filha é um militar altamente condecorado da agência de inteligência GRU. Kremlin nega.

Ruslan Boshirov, suspeito pelo envenamento do ex-espião russo Sergei Skripal, fotografado por uma câmera de vigilância

Preso como Ruslan Boshirov, este homem seria na verdade um coronel com missões na Chechênia segundo a Bellingcat

A organização de jornalismo investigativo Bellingcat afirmou nesta quarta-feira (26/09) que um dos dois russos acusados pelo Reino Unido pela tentativa de assassinato do ex-espião Serguei Skripal e de sua filha é um coronel altamente condecorado da agência de inteligência militar russa GRU. O Kremlin negou.

A Bellingcat afirmou que o homem até agora identificado pela imprensa britânica como Ruslan Boshirov é, na verdade, o coronel Anatoliy Chepiga.

No começo deste mês, o governo britânico divulgou que tanto Boshirov quanto o outro suspeito, Alexander Petrov, eram agentes do serviço de inteligência militar da Rússia, algo que ambos negaram em entrevista à emissora russa RT.

As autoridades britânicas alertaram que os dois suspeitos podem ter entrado no Reino Unido com nomes e passaportes falsos. Segundo a agência de notícias Reuters, o governo britânico tem conhecimento de suas identidades reais. Fontes oficiais do governo, porém, não quiseram comentar a divulgação do suposto nome real do suspeito.

Bellingcat, que se declara uma organização especializada em investigações baseadas em "fontes abertas e nas redes sociais", afirmou que o coronel Chepiga serviu na Segunda Guerra da Tchetchênia e foi "visto perto da fronteira da Ucrânia no final de 2014".

De acordo com a Bellingcat, Chepiga nasceu em 1979 em Nikolaievka, uma aldeia no leste da Rússia, e concluiu a academia militar da região. Em seguida, ingressou nas forças especiais. A organização disse ter pesquisado fotos de graduados de academias militares russas e encontrou um homem parecido com Boshirov.

Em seguida, a investigação se concentrou em Chepiga, usando bancos de dados russos disponíveis na internet. A Bellingcat rastreou o arquivo de passaportes de Chepiga e encontrou uma foto de 2003 na qual há fortes semelhanças com fotos de Boshirov.

Segundo a organização investigativa, Chepiga foi condecorado em dezembro de 2014 com as mais altas distinções em seu país, como a de Herói da Federação Russa. Não há qualquer registro oficial da condecoração, que habitualmente é dada pelo presidente russo, o que sugere que estaria ligada a uma missão secreta.

Em resposta, Moscou negou nesta quinta-feira que um dos dois suspeitos do envenenamento de Skripal seja um coronel russo. "Não há nenhuma prova, portanto continua a campanha de difamação para desviar a atenção da questão principal: o que aconteceu em Salisbury?", escreveu no Facebook a porta-voz do Ministério russo do Exterior, Maria Zakharova.

O Reino Unido acusou a Rússia de estar por trás do ataque ao ex-espião e sua filha, Yulia, que foram envenenados em Salisbury, no sul da Inglaterra, em março, com uma substância química de uso militar. Os dois suspeitos negam as acusações e afirmaram que visitaram Salisbury como turistas para ver sua catedral.

O caso Skripal provocou uma crise diplomática que resultou numa ação coordenada inédita de expulsão de diplomatas russos de vários países ocidentais, incluindo os Estados Unidos e dois terços dos países-membros da União Europeia, a que a Rússia respondeu com a expulsão de diplomatas ocidentais.

PV/efe/lusa/ap/rtr

_____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais