1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
O senador Cid Gomes
Cid Gomes é ex-ministro da Educação no governo Dilma Rousseff e ex-governador do CearáFoto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Senador Cid Gomes é baleado em motim de policiais no Ceará

20 de fevereiro de 2020

Parlamentar é atingido por dois tiros no tórax ao tentar entrar com retroescavadeira num batalhão da PM em Sobral, em meio a uma paralisação de policiais. Governo federal autoriza envio da Força Nacional ao estado.

https://www.dw.com/pt-br/senador-cid-gomes-%C3%A9-baleado-em-motim-de-policiais-no-cear%C3%A1/a-52439302

O senador Cid Gomes (PDT-CE) foi baleado nesta quarta-feira (19/02) na cidade de Sobral, no Ceará, durante um motim de policiais que reivindicam aumento salarial. Um boletim médico informou que ele está lúcido e respira sem auxílio de aparelhos.

O parlamentar foi atingido ao tentar entrar em um batalhão da Polícia Militar (PM) usando uma retroescavadeira. O local estava com os portões fechados devido a uma paralisação de parte dos policiais. Do outro lado dos portões havia dezenas de agentes encapuzados, e teria sido desse grupo que partiram os tiros que atingiram o senador.

Por lei, policiais militares não podem fazer greve. Mais cedo, Cid divulgou em seu perfil no Twitter um vídeo em que criticava o motim. "Estou chocado em ver cenas de quem devia dar segurança para o povo promovendo a desordem."

"Estou indo agora para Sobral, minha terra, e quero pedir a cada irmão e irmã sobralense, que não se conforma com essa situação, para me esperar no aeroporto. Vamos definir uma estratégia para dar paz para a cidade de Sobral. É o que eu posso fazer no momento", disse ele.

O ex-governador do Ceará e ex-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT), irmão de Cid, afirmou que o senador levou dois tiros de arma de fogo disparados por policiais militares "amotinados e mascarados", mas não corre risco de morte.

"Até aqui as informações médicas são de que as balas não atingiram órgãos vitais apesar de terem mirado seu peito esquerdo", escreveu Ciro no Twitter. "Espero serenamente, embora cheio de revolta, que as autoridades responsáveis apresentem prontamente os marginais que tentaram este homicídio bárbaro às penas da lei."

Cid foi internado no Hospital do Coração de Sobral. Um boletim médico divulgado pela instituição durante a noite informou que ele apresenta "boa evolução clínica".

"O paciente Cid Ferreira Gomes deu entrada nesta unidade hospitalar, vítima de ferimento por arma de fogo em região torácica. Após atendimento, segue apresentando boa evolução clínica. Seu quadro cardíaco e neurológico não apresenta alteração. Neste momento o paciente encontra-se lúcido e respirando sem auxílio de aparelhos", diz o boletim.

Vídeos compartilhados em redes sociais mostram o momento em que Cid tenta furar um bloqueio feito por policiais no 3º Batalhão da PM de Sobral com a retroescavadeira. Momentos depois, disparos atingem o senador e alvejam também os vidros do trator, que estilhaçam.

Outras imagens mostram o parlamentar com a blusa manchada de sangue logo após ser atingido, mas ainda consciente e andando, sendo retirado do local por pessoas que o acompanhavam.

Em comunicado, o governo federal informou que equipes da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal foram enviadas a Sobral para cuidar da segurança do senador. .

Atendendo a pedido do governador do Ceará, Camilo Santana (PT), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, autorizou o envio da Força Nacional para o Ceará "para colaborar com as forças de segurança estaduais na garantia da lei e da ordem". 

A primeira equipe da Força Nacional tem chegada prevista para esta quinta-feira, devendo permanecer por 30 dias, de acordo com a portaria assinada por Moro. "Recomendo que sejam tomadas as necessárias providências para que o movimento de paralisação seja encerrado o mais breve possível", escreve o ministro.

Santana chamou de "inaceitável" o incidente em Sobral. Segundo ele, tratou-se de uma "extrema violência provocada por um grupo de policiais mascarados, amotinados num quartel".

​"Reforço que já havia solicitado formalmente apoio de tropas federais para o Ceará aos ministros Luiz Eduardo Ramos e Sergio Moro, para uma ação enérgica contra essas pessoas que têm agido como criminosos. Esses crimes não ficarão impunes", declarou o petista. Desde terça-feira, policiais do estado fazem motim contra a proposta de reestruturação salarial apresentada por Santana.

Por sua vez, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse que Cid teve uma "atitude insensata" ao tentar furar o bloqueio policial e entrar no batalhão.

"[Ele] tenta invadir o batalhão com uma retroescavadeira e é alvejado com um projétil de borracha. É inacreditável que um Senador da República lance mão de uma atitude insensata como essa, expondo militares e familiares a um risco desnecessário em um momento já delicado", escreveu o filho do presidente Jair Bolsonaro no Twitter.

De início, a assessoria de Cid informou que ele tinha sido atingido por uma bala de borracha durante a confusão. Mais tarde, os assessores confirmaram que se tratou de uma arma de fogo.

Em resposta à declaração de Eduardo, o irmão Ciro Gomes escreveu no Twitter: "Será necessário que nos matem mesmo antes de permitirmos que milícias controlem o estado do Ceará como os canalhas de sua família fizeram com o Rio de Janeiro."

Ex-ministro da Educação no governo Dilma Rousseff e ex-governador do Ceará, Cid Gomes está licenciado do Senado, sem pagamento de salário, desde o início de dezembro para atuar nas eleições municipais no Ceará em 2020. Sua licença é de 120 dias. Durante esse período, ele é substituído por Prisco Bezerra (PDT-CE).

EK/abr/ots

_____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter