Revista alemã expõe seu maior ″fake news″: os diários falsos de Hitler | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 15.09.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Revista alemã expõe seu maior "fake news": os diários falsos de Hitler

Anunciados como sensação pela "Stern" em 1983, supostos diários do líder nazista logo se revelaram uma falsificação e um mau exemplo de trabalho jornalístico. Sete deles são expostos pela primeira vez na sede da editora.

default

Capa da revista "Stern" anuncia a "descoberta dos diários de Hitler", em abril de 1983

A revista alemã Stern expôs pela primeira vez, neste sábado (15/09), os diários falsos de Adolf Hitler, que em maio de 1983 colocaram a publicação no meio de um dos maiores escândalos da história da imprensa alemã. Os diários eram falsos, mas foram apresentados pela revista – que não sabia disso – como verdadeiros.

A exposição reuniu sete dos 62 diários produzidos pelo falsário Konrad Kujau e adquiridos pela revista por 9,3 milhões de marcos alemães, além de objetos relacionados, como o ferro de passar roupa que Kujau usou para "envelhecer" o papel.

"Estamos expondo a nossa maior ferida", afirmou o diretor de redação da Stern, Christian Krug, às cerca de mil pessoas que foram à sede da editora Gruner+Jahr, em Hamburgo, no chamado Dia das Portas Abertas, data em que instituições alemãs abrem suas portas ao público e apresentam o seu trabalho.

Já o vice-diretor de redação, Thomas Ammann, chamou os cadernos de "a mãe de todos os fake news".

Os supostos diários de Hitler causaram sensação quando, em abril de 1983, a Stern passou a publicar trechos deles, mas logo viraram um escândalo.

A fraude foi desmascarada já em maio pelo Departamento Federal de Investigações (BKA), a polícia investigativa da Alemanha.

Kujau era um falsário conhecido pela polícia, e teria bastado uma ligação telefônica para que a redação da Stern evitasse o escândalo.

Alguns diários foram doados pela revista para museus e instituições científicas, que já os haviam expostos. Esta foi a primeira vez que a própria editora exibiu alguns dos cadernos.

Krug disse que os cadernos que ainda estão em posse da editora serão expostos em eventos especiais a partir de agora.

AS/epd/dpa

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp

 | App | Instagram | Newsletter

Leia mais