1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
As fabricantes anunciaram uma eficácia de 95% com a aplicação de duas doses em intervalo de três semanasFoto: Jens Krick/Flashpic/picture alliance

Reino Unido aprova vacina para uso já na semana que vem

2 de dezembro de 2020

Autoridades britânicas são as primeiras a dar aval para imunizante da Pfizer-Biontech contra a covid-19 e anunciam início da maior campanha de vacinação da história do país.

https://www.dw.com/pt-br/reino-unido-aprova-vacina-da-pfizer-para-uso-j%C3%A1-na-semana-que-vem/a-55793217

O governo do Reino Unido anunciou nesta quarta-feira (02/12) a aprovação da vacina para covid-19 produzida em parceria pela multinacional Pfizer e a empresa alemã Biontech e adiantou que ela estará disponível já na próxima semana.

O governo comunicou ter aceitado a recomendação da Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA) e que a vacina estará disponível em todo o Reino Unido a partir da próxima semana.

O ministro da Saúde, Matt Hancock, declarou à emissora Sky que o governo iniciará um amplo programa de vacinação.

A prioridade deverá ser dada a grupos de risco, como pessoas idosas e profissionais da saúde. Essa deverá ser a maior campanha de vacinação na história do país, disseram as autoridades de saúde.

40 milhões de doses

O Reino Unido já encomendou 40 milhões de doses da vacina, o que é suficiente para vacinar 20 milhões de pessoas. As fabricantes anunciaram uma eficácia de 95% com a aplicação de duas doses em intervalo de três semanas.

A medida tornará o Reino Unido o primeiro país ocidental a começar a vacinar a população contra a covid-19 e o primeiro no mundo a aprovar a vacina da Pfizer-Biontech.

A vacina da Pfizer-Biontech passa a ser a que foi desenvolvida mais rapidamente na história, tendo se passado apenas dez meses desde o início da pesquisa – normalmente esse processo se estende por anos.

Hancock reconheceu que será "desafiador" distribuir a vacina pelo país, pois ela precisa ser armazenada a uma temperatura de 70 graus Celsius negativos. Segundo o ministro, uma rede de 50 hospitais já está pronta para fornecer as primeiras vacinas, e centros de vacinação especializados estão em construção.

Devido à baixíssima temperatura necessária para o armazenamento, a vacina deve ser transportada em caixas especiais com gelo seco. Após a entrega, as doses podem ser armazenadas por até cinco dias numa geladeira comum.

Pedido de aprovação na UE e nos EUA

Nesta terça-feira, a Pfizer e a Biontech anunciaram que solicitaram autorização de uso condicional de sua vacina para o novo coronavírus às autoridades da União Europeia (UE). O pedido foi entregue à Agência Europeia de Medicamentos (EMA) nesta segunda-feira, comunicou a alemã Biontech.

A EMA declarou, logo em seguida, que o resultado da avaliação da vacina da Pfizer-Biontech deverá estar disponível até 29 de dezembro. A Comissão Europeia, que em regra segue as recomendações da agência, declarou que poderá autorizar o uso poucos dias depois de uma aprovação.

Moderna também solicita aprovação

Uma empresa concorrente, a americana Moderna, também solicitou uma autorização de uso condicional à EMA nesta segunda-feira. A EMA comunicou que a avaliação da vacina da Moderna será divulgada no dia 12 de janeiro. A Moderna divulgou que sua vacina tem eficácia de 94,5%.

As vacinas da Moderna e da Pfizer-Biontech utilizam uma tecnologia inovadora conhecida como RNA mensageiro (mRNA), que não usa o próprio vírus para a produção. Uma vacina com essa tecnologia nunca havia sido aprovada para uso.

AS/lusa/rtr/afp