Racismo é tema da 2ª rodada do debate democrata nos EUA | Notícias internacionais e análises | DW | 28.06.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Racismo é tema da 2ª rodada do debate democrata nos EUA

Ex-vice-presidente Joe Biden, que lidera as pesquisas para a nomeação do partido, foi acusado pelos demais pré-candidatos de tolerar atitudes racistas. Trump também esteve no centro dos ataques.

Pré-candidatos Joe Biden, Bernie Sanders e Kamala Harris na segunda rodada do debate democrata nos EUA

Pré-candidatos Joe Biden, Bernie Sanders e Kamala Harris na segunda rodada do debate democrata nos EUA

A segunda rodada do debate dos pré-candidatos do Partido Democrata dos Estados Unidos às eleições presidências de 2020, na noite desta quinta-feira (27/06), foi marcada por ataques ao ex-vice-presidente Joe Biden, o melhor colocado nas pesquisas para tentar impedir a reeleição de Donald Trump.

A senadora Kamala Harris desferiu duros golpes contra Biden, forçando o ex-colega de chapa de Barack Obama a ficar na defensiva, enquanto ele afirmava ser o mais preparado para enfrentar Trump.

Biden atacou as políticas do presidente, que, segundo afirmou, aumentaram a desigualdade no país. Mas, ele próprio acabaria sendo alvo de pesadas críticas de seus colegas de partido, que o acusaram de ser antiquado e o condenaram por tolerar atitudes racistas.

Harris, a única mulher negra entre os pré-candidatos, exigiu que Biden reconhecesse comentários "ofensivos" que teria feito, acusando o veterano de adotar um tratamento cortês para com políticos que, segundo a senadora, defendem a segregação racial.

"Não acredito que o senhor seja racista e concordo com seu comprometimento com a busca de terreno comum", disse Harris, de 54 anos, que aparece em pesquisas diferentes em quarto e quinto lugares para ganhar a indicação do partido. "Mas, é doloroso ouvi-lo falar sobre a reputação de dois senadores dos EUA que construíram suas reputações e carreiras defendendo a segregação racial neste país", ressaltou a senadora pelo estado da Califórnia.

Biden insistiu não ter feito elogios a racistas e negou a acusação de Harris de que, nos anos 70, teria se oposto a iniciativas de transportar crianças de comunidades predominantemente negras para escolas em bairros mais prósperos. Num dos momentos mais fortes do debate, a senadora afirmou que ela própria foi uma dessas crianças.

A senadora, filha de pai jamaicano e mãe indiana, disse que, para ela, a questão racial é algo profundamente pessoal. Ela ganhou destaque no debate ao se colocar no centro de várias discussões acaloradas.

Devido ao grande número de postulantes para desafiar Trump nas eleições do próximo ano, os organizadores do debate, transmitido pela emissora NBC, tiveram que dividir os 20 principais pré-candidatos em dois grupos.

Na noite desta quinta-feira, participaram quatro nomes que aparecem entre os cinco favoritos. Além de Biden e Harris, também estavam presentes o senador Bernie Sanders e Pete Buttigieg, prefeito de South Bend, Indiana, entre outros.

Os pré-candidatos lançaram ataques a Trump, criticando principalmente sua política de imigração. Sanders chamou o presidente de impostor e o acusou de ser um "mentiroso patológico e racista".

RC/afp/rtr

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

 

Leia mais