1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Vista aérea de ilha
Ilha fica em importante rota mercantil do Mar Negro Foto: 2022 Maxar Technologies via AP/picture alliance
ConflitosUcrânia

Rússia se retira da estratégica Ilha das Serpentes

30 de junho de 2022

Moscou diz que ação é "sinal de boa vontade" para facilitar a exportação de cereais da Ucrânia. Kiev afirma que russos fugiram após ataques. Ilha ganhou fama após guarda ucraniana responder invasores com palavrão.

https://www.dw.com/pt-br/r%C3%BAssia-sai-da-ilha-das-serpentes-%C3%ADcone-da-resist%C3%AAncia-ucraniana/a-62316215

A Rússia anunciou nesta quinta-feira sua retirada da Ilha das Serpentes, afirmando que a medida se destina a facilitar a exportação de cereais da Ucrânia. Já os militares da Ucrânia disseram que os russos fugiram em duas lanchas da ilha estratégica no noroeste do Mar Negro após uma série de ataques de artilharia e mísseis ucranianos.

"Em 30 de junho, como sinal de boa vontade, as forças armadas russas cumpriram os seus objetivos na Ilha das Serpentes e retiraram sua guarnição", afirmou o porta-voz do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkov.

Ele disse que a retirada se destina a facilitar as exportações de cereais da Ucrânia. "A Rússia não se opõe aos esforços da ONU para criar um corredor humanitário para exportar cereais da Ucrânia", ressaltou Konashenkov.

"Esta decisão não permitirá mais a Kiev especular sobre uma crise alimentar iminente, dizendo que é impossível exportar cereais devido ao controle total da Rússia sobre o noroeste do Mar Negro", acrescentou.

A Ucrânia e o Ocidente acusam a Rússia de roubar carregamentos de trigo de áreas ocupadas pelo exército russo no sul da Ucrânia, além de bloquear os portos ucranianos para impedir a exportação de grãos, contribuindo para uma crise global de alimentos.

A Rússia nega as acusações e alega que a Ucrânia precisa remover as minas marítimas do Mar Negro para permitir navegação segura.

As autoridades pró-Rússia na Ucrânia anunciaram nesta quinta-feira que um primeiro cargueiro russo com cereais a bordo, escoltado pela Marinha de Guerra de Moscou, zarpou com 7 mil toneladas de carga do porto ucraniano de Berdiansk, ocupado pelas forças da Rússia.

Ícone de resiliência

A Rússia assumiu o controle da Ilha das Serpentes, localizada numa movimentada rota marítima mercantil, nos primeiros dias da guerra contra a Ucrânia, na aparente intenção de usá-la como base para um ataque à cidade portuária de Odessa.

A pequena Ilha das Serpentes se tornou emblemática quando um membro da pequena guarnição ucraniana que a defendia respondeu com um palavrão ao navio russo que exigia sua rendição. O ocorrido fez manchetes por todo o mundo após a revelação da mensagem de rádio em que um dos soldados dizia aos invasores: "Navio de guerra russo, vai te f.. !". A frase se tornou símbolo da resistência ucraniana.

Em abril, a Ucrânia até lançou um selo postal em homenagem ao episódio. Os soldados ucranianos capturados no incidente foram libertados posteriormente como parte de uma troca de prisioneiros.

O navio de guerra russo que protagonizou o incidente naufragou posteriormente, após um ataque da Ucrânia. 

A ilha foi então alvo de seguidos ataques de drones e mísseis ucranianos.

Em 21 de junho, a Rússia disse que tinha repelido uma "tentativa louca" das forças de Kiev de retomar a Ilha das Serpentes.

Johnson elogia resistência ucraniana

O premiê britânico, Boris Johnson, disse que a retirada da Rússia da Ilha das Serpentes mostra a futilidade dos objetivos estratégicos do presidente Vladimir Putin na Ucrânia.

"No final, será impossível para Putin manter sob controle um país que não aceitará seu governo", disse Johnson, em entrevista coletiva após a cúpula da Otan em Madri.

"Vimos o que a Ucrânia pode fazer para expulsar os russos", disse Johnson. "Vimos o que eles fizeram em Kiev e Kharkiv, agora na Ilha das Serpentes. Acho que a coisa certa para nós é continuar seguindo o curso que a Otan estabeleceu, não importa quão difícil seja."

md/lf (Lusa, AFP, AP)