Proprietária diz que é difícil desencalhar navio que paralisa Canal de Suez | NRS-Import | DW | 25.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Oriente Médio

Proprietária diz que é difícil desencalhar navio que paralisa Canal de Suez

Egito anuncia suspensão da navegação enquanto tenta liberar uma das rotas comerciais mais movimentadas do mundo. Porta-contêineres gigante está atravessado no canal, e dezenas de embarcações aguardam para seguir viagem.

Navio Ever Given encalhado no Canal de Suez

Navio Ever Given, ao fundo, tem 400 metros de comprimento

O Egito anunciou nesta quinta-feira (25/03) a suspensão total da navegação no Canal de Suez, onde esforços estão em andamento para liberar um navio porta-contêineres gigante que encalhou há dois dias e restringiu o tráfego numa das rotas comerciais mais movimentadas do mundo.

O navio Ever Given, com bandeira do Panamá, ficou atravessado no canal artificial na terça-feira devido a uma forte tempestade de areia, deixando dezenas de outros navios de carga impedidos de passar pela hidrovia. Pelo menos 150 embarcações estão aguardando a desobstrução do canal, de acordo com as autoridades, que usam dragas e escavações.

O navio de 400 metros de comprimento se atravessou e encalhou devido a uma tempestade de areia quando navegava através da hidrovia vindo da China, com destino a Rotterdã.

O acidente provocou um aumento do preço do petróleo Brent no mercado de futuros de Londres, devido aos receios em relação ao abastecimento internacional, ultrapassando os 53 dólares por barril. 

Nesta quinta-feira, o chefe da estatal Autoridade do Canal de Suez (SCA, na sigla em inglês), almirante Osama Rabae, disse que a navegação seria temporariamente suspensa durante os esforços finais para libertar o Ever Given, que incluem o emprego de oito grandes rebocadores. Ele não deu previsão de conclusão dos esforços de desobstrução. Treze navios passaram pelo canal na quarta-feira, apesar do acidente, segundo Rabae.

Weltspiegel | 25.03.2021 | Bilder des Tages | Tableau

Imagem aérea mostra o cargueiro encalhado

"Trabalhos podem levar semanas" 

"Não podemos descartar que isso leve semanas, dependendo da situação", ponderou em entrevista à TV holandesa Peter Berdowski, presidente da companhia holandesa Boskalis, que está ajudando a desencalhar o navio.

A empresa proprietária do navio admitiu que está enfrentando dificuldades para desencalhá-lo e até ofereceu um pedido de desculpas por escrito nesta quinta-feira. "Estamos determinados a continuar trabalhando duro para resolver essa situação o mais rapidamente possível'', comunicou o grupo japonês Shoei Kisen Kaisha. "Gostaríamos de pedir desculpas a todas as partes afetadas por esse incidente, incluindo os navios que viajam e planejam viajar pelo Canal de Suez.''

O Canal de Suez fornece uma das principais fontes de renda do Egito, ao lado do turismo e remessas de expatriados. Em 2015, o Egito inaugurou uma extensão de 35 quilômetros paralela ao canal histórico, inaugurado em 1869.

A expansão ampliou o tráfego de um para dois sentidos e foi feita para reduzir o tempo de espera dos navios para atravessar a hidrovia. A passagem conecta os mares Mediterrâneo e Vermelho, fornecendo a rota de transporte mais curta entre a Ásia e a Europa.

md/as (Reuters, DPA, AP)

Leia mais