1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Abdulrazak Gurnah em imagem que mostra rosto e ombros do escritor que cresceu em Zanzibar e fugiu para a Inglaterra aos 18 anos.
Abdulrazak Gurnah, da Tanzânia, recebeu o Prêmio Nobel de Literatura de 2021Foto: Ger Harley/StockPix/picture alliance
LiteraturaGlobal

Nobel de Literatura vai para Abdulrazak Gurnah

7 de outubro de 2021

Distinção foi anunciada pelo Comitê do Nobel para escritor pelo seu trabalho sobre os efeitos do colonialismo e o destino de refugiados, 'presos no golfo entre culturas e continentes'.

https://www.dw.com/pt-br/pr%C3%AAmio-nobel-de-literatura-vai-para-escritor-da-tanz%C3%A2nia-abdulrazak-gurnah/a-59436155

O Prêmio Nobel de Literatura de 2021 será entregue ao escritor da Tanzânia Abdulrazak Gurnah "por seu mergulho rigoroso e compassivo nos efeitos do colonialismo e no destino de refugiados presos no golfo entre culturas e continentes", segundo anúncio do Comitê da honraria em Estocolmo.

Gurnah nasceu na ilha de Zanzibar em 1948, mas fugiu para a Inglaterra nos anos 1960. Até sua aposentadoria recente, foi professor de Inglês e Literatura Pós-Colonial na Universidade de Kent, em Canterbury.

A obra de Gurnah engloba dez romances, incluindo Paradise (Paraíso), que ficou entre os finalistas dos prêmios Booker e Whitbread de Literatura em 1994.

A Academia Sueca citou sua "dedicação à verdade e sua aversão à simplificação", acrescentando que suas obras "evitam descrições estereotipadas e abrem nosso olhar para uma África Oriental culturalmente diversa e com a qual muitas outras partes do mundo não estão familiarizadas". 

O Nobel de Literatura é conhecido por ser difícil de prever e já foi entregue a poetas, autores de romances e até ao músico Bob Dylan. Este ano, foram considerados favoritos o queniano Ngugi wa Thiong'o, a escritora francesa Annie Ernaux, o autor japonês Haruki Murakami, a canadense Margaret Atwood, autora da obra transformada em série O Conto da Aia, e Jamaica Kincaid, escritora de Antigua e Barbuda radicada nos Estados Unidos.

Em 2020, a poeta americana Louise Glück recebeu o Nobel por sua "voz poética inconfundível que, com beleza austera, transforma a existência individual em universal", segundo os juízes. 

Glück foi uma escolha popular após vários anos de controvérsias. Em 2018, o Nobel de Literatura foi adiado após alegações de abusos sexuais terem abalado a Academia Sueca, que escolhe os vencedores.

Em 2019, a entrega do prêmio ao escritor austríaco Peter Handke causou protestos devido ao reiterado apoio que ele expressou à Sérvia durante os conflitos nos Bálcãs, nos anos 1990.

Na sexta-feira (08/10), será anunciado o vencedor do prestigioso Prêmio Nobel da Paz. Na segunda-feira (11/10), ficará conhecido o trabalho vencedor do Prêmio Nobel de Economia.

Os Prêmios Nobel são habitualmente entregues no dia 10 de dezembro, aniversário da morte do criador da honraria, Alfred Nobel. Este ano, devido à pandemia, deverão ser entregues em cerimônias organizadas próximo ao local de moradia dos premiados e os eventos deverão ser transmitidos pela Internet.

rk (AP, DPA, ots)