Polícia acha veneno em pizzaria onde comeu ex-espião russo | Notícias internacionais e análises | DW | 11.03.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Reino Unido

Polícia acha veneno em pizzaria onde comeu ex-espião russo

Peritos acham traços do agente que intoxicou Serguei Skripal e sua filha em restaurante e pub aonde ele foi antes de ser encontrado inconsciente. Autoridades dizem que quem esteve nos locais deve lavar seus pertences.

Investigadores retiram roupas de proteção perto de local onde ex-espião foi socorrido

Investigadores retiram roupas de proteção perto de local onde ex-espião foi socorrido

A polícia do Reino Unido detectou traços do agente nervoso que envenenou o ex-espião russo Serguei Skripal e sua filha, Yulia, num restaurante e num pub de Salisbury, no sul da Inglaterra, onde ele esteve no último domingo, antes de ser encontrado inconsciente, segundo informações divulgadas neste domingo (11/03) por autoridades britânicas.

Os serviços sanitários britânicos dizem que o risco para o público permanece baixo, mas pediram às mais de 500 pessoas que estiveram no domingo passado no pub e no restaurante que lavem os seus pertences por precaução, por poderem ter estado em contato com o gás químico que envenenou o ex-espião.

A substância foi detectada pelos peritos no pub The Mill e na pizzaria Zizzi, focos da investigação para determinar quem está por trás do envenenamento de Skripal, de 66 anos, e da filha, de 33. Ele seguem hospitalizados em estado crítico. Ambos foram encontrados inconscientes no domingo passado num banco próximo a um parquinho. A polícia britânica afirma que um total de 21 pessoas receberam tratamento médico após o incidente.

Segundo a rede britânica BBC, não há indícios de intoxicação nos demais clientes que comeram na pizzaria no dia do envenenamento. O local está fechado, assim como a casa de Skripal, o pub The Mill e o cemitério de Salisbury, onde estão enterrados a esposa e o filho do russo.

O Exército do Reino Unido também está colaborando com a investigação policial, que conta com mais de 250 agentes de unidades antiterroristas de diversas regiões do país. "Quero destacar que eles estão trabalhando com rapidez e profissionalismo", garantiu no sábado a ministra do Interior, Amber Rudd, depois de se reunir com o comitê de emergência de alto nível Cobra. "Estamos destinando enormes recursos para garantir que eles tenham todo o apoio que necessitem."

A Rússia negou qualquer relação com o envenenamento. O ministro do Exterior do Reino Unido, Boris Johnson, disse que o país responderá se for confirmado o envolvimento do Kremlin no caso.

O detetive Nick Bailey, que ficou gravemente doente e foi hospitalizado depois de socorrer Skripal e sua filha, divulgou no sábado um comunicado do hospital, afirmando não se considerar um herói e que somente estava fazendo seu trabalho.

MD/dpa/efe

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais