Pivô do caso Facebook acusa manipulação no Brexit | Notícias internacionais e análises | DW | 27.03.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brexit

Pivô do caso Facebook acusa manipulação no Brexit

Cambridge Analytica teve "papel crucial" no referendo britânico, diz denunciante Christopher Wylie. Colaboração com firma canadense teria permitido à campanha pela saída da UE burlar limite de gasto previsto por lei.

Christopher Wylie, ex-funcionário da Cambridge Analytica, durante depoimento no Parlamento britãnico

Christopher Wylie, ex-funcionário da Cambridge Analytica, durante depoimento no Parlamento britãnico

A Cambridge Analytica, acusada de usar para fins políticos os dados privados de 50 milhões de usuários do Facebook, desempenhou um "papel crucial" na votação para o Brexit, segundo Christopher Wylie, ex-funcionário e denunciante da empresa britânica, em entrevista publicada nesta terça-feira (27/03) por diversos jornais europeus.

Para ele, os britânicos jamais teriam aprovado o Brexit em 2016 sem a Cambridge Analytica. "Ela desempenhou um papel crucial, tenho certeza", disse o ex-diretor de pesquisa da Cambridge Analytica, em comentários publicados pelo jornal francês Libération, que entrevistou Wylie juntamente com outros periódicos, incluindo Le Monde, Die Welt, El Pais e La Repubblica.

Wylie acusa a campanha pelo Brexit de investir no referendo de 2016 muito mais em análise de dados e propaganda do que o permitido pela legislação britânica para campanhas políticas. Segundo ele, foram pagos cerca de 700 mil euros, de forma encoberta, à AggregateIQ, empresa canadense relacionada à Cambridge Analytica. Assim contornou-se o limite de gastos imposto pela lei do país. O denunciante acredita que sem a AggregateIQ (AIQ), a campanha pró-Brexit "não teria tido sucesso no referendo" que venceu por poucos pontos percentuais.

De acordo com o Le Monde, o ex-funcionário da Cambridge Analytica também acredita que é preciso "consertar o Facebook, não eliminá-lo", rejeitando campanhas para deixar a rede social. "Tornou-se impossível viver sem essas plataformas, mas devemos monitorá-las", defende Wylie.

Em depoimento nesta terça-feira no Parlamento britânico Christopher Wylie afirmou que a AggregateIQ criou um software, chamado Ripon, usado para identificar eleitores do Partido Republicano na campanha presidencial americana de 2016.

"Existe agora uma prova tangível no domínio público de que a AIQ realmente fez o Ripon, que é o software que utilizou os algoritmos dos dados do Facebook", disse aos deputados da comissão digital, de cultura, mídia e esporte do Parlamento britânico. Wylie foi quem deu partida ao escândalo sobre o papel do Facebook nas eleições que colocaram Donald Trump na Casa Branca.

MD/afp/rtr

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais