1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Passageira sentada no chão do Aeroporto Internacional de Joanesburgo tenta achar voo para deixar a África do Sul, num momento em que vários governos fecharam fronteiras a pessoas oriundas do país
Passageira no Aeroporto Internacional de Joanesburgo tenta achar voosFoto: Sumaya Hisham/REUTERS

Pelo menos 230 brasileiros ficam retidos na África do Sul

30 de novembro de 2021

Razão são restrições de viagem impostas devido à ômicron, nova variante do coronavírus. Brasil é um dos países que fechou fronteiras temendo nova cepa, considerada mais contagiosa.

https://www.dw.com/pt-br/pelo-menos-230-brasileiros-ficam-retidos-na-%C3%A1frica-do-sul/a-59976878

A Embaixada do Brasil em Pretória comunicou que pelo menos 230 brasileiros estão retidos na África do Sul. Mais da metade deles está na região da Cidade do Cabo, e um terço deles na área de Pretória e Joanesburgo.

O Brasil é um dos países que fechou as fronteiras para viajantes vindos da África do Sul e de outras nações do sul do continente africano por causa da nova variante do coronavírus ômicron. O Ministério das Relações Exteriores comunicou que acompanha a situação desses brasileiros e que procura voos que possam trazê-los de volta.

Voos partindo da Etiópia estão sendo considerados a melhor alternativa para retorno ao Brasil a partir do continente africano. De acordo com o site da embaixada na capital sul-africana, a Ethiopian Airlines realizou voos para Adis Abeba no último sábado (27/11), e na segunda-feira (29/11). "A embaixada está apurando junto à empresa se e quando haverá novos voos que permitam conexão em Adis Abeba com destino final no Brasil", diz comunicado do órgão.

A ômicron tem um grande número de mutações e, por isso, cientistas temem que ela possa ser mais transmissível e mais perigosa do que outras variantes.

as/rk (OTS)