Parlamento venezuelano aprova moção contra Maduro | Notícias sobre a América Latina e as relações bilaterais | DW | 09.01.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

América Latina

Parlamento venezuelano aprova moção contra Maduro

Parlamentares votam a favor de declaração de abandono de cargo por parte do presidente e exigem eleições para solucionar crise política. Tribunal Supremo contesta votação e diz que decisão não cabe à Assembleia Nacional.

A Assembleia Nacional da Venezuela aprovou nesta segunda-feira (09/01) uma declaração de "abandono de cargo" por parte do presidente do país, Nicolás Maduro, e exigiu uma saída eleitoral para solucionar a crise política.

"A única forma de resolver os graves problemas que afligem o país é devolver o poder ao povo da Venezuela e, portanto, convocar a realização de eleições livres e plurais", diz o texto, aprovado por 106 dos 163 parlamentares.

Segundo o presidente da Assembleia, Julio Borges, o mais importante desta moção é a exigência de uma solução eleitoral para a crise na Venezuela. A declaração responsabilizou Maduro pela grave ruptura da ordem constitucional, pela violação de direitos humanos e pela "devastação das bases econômicas e sociais" do país.

Desde as eleições de 2015, a Assembleia Nacional é composta em sua maioria por parlamentares da oposição. No entanto, quase todas as medidas aprovadas contrárias ao governo de Maduro têm sido barradas pelo Tribunal Supremo de Justiça.

A moção aprovada nesta segunda-feira acirrou ainda mais a disputa política no país. Logo após a votação, em comunicado, o Tribunal Supremo de Justiça afirmou que os parlamentares não têm poder para declarar o abandono de cargo por parte do presidente.

A oposição tenta há quase um ano convocar novas eleições e promover uma troca de governo. O mandato de Maduro termina em janeiro 2019.

CN/efe/rtr/dpa

Leia mais