Papa Francisco critica desigualdade entre ricos e pobres | Notícias internacionais e análises | DW | 25.12.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Papa Francisco critica desigualdade entre ricos e pobres

Na Missa do Galo, pontífice lamenta aumento da disparidade e "voracidade consumista" dos homens. "O homem se transforma em ávido e ganancioso. Parece que ter e acumular coisas é, para muitos, o sentido da vida", afirma.

Papa Francisco (esq.) lamentou a disparidade entre ricos e pobres e a voracidade consumista dos homens

Papa Francisco (esq.) lamentou a disparidade entre ricos e pobres e a "voracidade consumista" dos homens

O papa Francisco criticou durante a celebração da Missa do Galo, nesta segunda-feira (24/12), a desigualdade entre ricos e pobres e, ainda, a "voracidade consumista" dos homens.

"Enquanto uns poucos realizam banquetes esplêndidos, muitos não têm pão para sobreviver", afirmou o pontífice durante a sexta da Missa do Galo, na qual os católicos lembram o nascimento de Jesus.

Na homília, Francisco explicou que presépio significa "casa do pão". E disse que Deus convocava hoje a humanidade a prestar a atenção ao fato de que os alimentos do mundo não saciam o coração.

"O homem se transforma em ávido e ganancioso. Parece que ter e acumular coisas é, para muitas pessoas, o sentido da vida", lamentou Francisco para cerca de 10 mil fiéis reunidos na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Para o papa, o presépio é o "ponto de inflexão" para mudar o curso da história. "O corpo do menino Jesus no presépio propõe um novo modelo de nova vida: não devorar e monopolizar, mas compartilhar e dar. Deus se faz pequeno para ser nosso alimento. Nutrindo-nos dele, pão da vida, podemos renascer no amor e romper a espiral da avidez e da cobiça", ressaltou o pontífice na celebração.

"Compreendemos que o que alimenta a vida não são os bens, mas o amor. Não é a voracidade, mas a caridade. Não é a abundância ostentosa, mas a singeleza que temos que preservar", continuou.

"No presépio descobrimos que a vida de Deus corre pelas veias da humanidade. Se o acolhermos, a história muda a partir de cada um de cada um de nós. Jesus muda o coração, para deixarmos de ser famintos e egoístas", acrescentou o papa.

A cerimônia, realizada às 21h30 no horário local (18h30 em Brasília), foi precedida pela 'Kalenda', tradicional canto grego que anuncia o Natal e narra o cumprimento do Advento do Senhor.

"Precisamos verdadeiramente de tantas coisas, tantas receitas complicadas para viver? Sou capaz de prescindir de tantos complementos supérfluos para escolher uma vida mais singela?", questionou Francisco na Missa do Galo.

Os atos de celebração do Natal continuam amanhã, quando o papa proclamará uma mensagem aos fiéis na varanda da Basílica de São Pedro e realizará a tradicional bênção "Urbi et Orbi" (Para a cidade e o mundo).

FC/efe/lusa/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais