Paleontólogos encontram fóssil quase perfeito de dinossauro jovem | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 13.10.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Paleontólogos encontram fóssil quase perfeito de dinossauro jovem

Com cerca de 72 centímetros e 135 milhões de anos, fóssil de terópode encontrado no sul da Alemanha é o mais completo da Europa, afirmam os cientistas.

O fóssil, que resistiu 135 milhões de anos 98% completo

O fóssil, que resistiu 135 milhões de anos 98% completo

Paleontólogos alemães encontraram o que eles afirmam ser o mais bem conservado fóssil de dinossauro já localizado na Europa. O anúncio da descoberta foi feito nesta quarta-feira (12/10) em Munique, capital da Baviera.

O esqueleto do ainda não batizado terópode está 98% completo e é um dos mais bem preservados do mundo, disse Oliver Rauhut, pesquisador do Museu de Paleontologia e Geologia do Estado da Baviera.

O fóssil de 72 centímetros de comprimento de um filhote de dinossauro estava em Kelheim, na região da Baixa Baviera. O achado é considerado uma sensação pelo grupo de paleontologistas porque é raro encontrar esqueletos de dinossauros jovens, ainda mais com pedaços de pele e cabelo.

O novo achado será apresentado ao público durante quatro dias, a partir de 27 de outubro, durante uma exposição de minerais em Munique.

Sob a direção de Rauhut, uma equipe internacional de cientistas está fazendo uma avaliação da sensacional descoberta. "O fóssil de cerca de 135 milhões de anos é de importância científica fundamental”, disse o especialista em dinossauros.

Muitos fósseis estão sendo encontrados na China. "Muitas vezes, à primeira vista, esses fósseis parecem bem completos. Num exame mais atento se vê, porém, que a preservação dos ossos lá não é muito boa", compara.

A nova descoberta é apenas bidimensional, mas os ossos e muitos detalhes anatômicos estão muito bem preservados. Os cientistas destacam principalmente o grau de conservação de 98%. "Os esqueletos de tiranossauros mais completos que temos estão em torno de 80% preservados, o que já é excelente", comenta Rauhut.

Os esqueletos de terópodes, que incluem o famoso tiranossauro, estão entre as mais raras descobertas de dinossauros. Uma grande parte das espécies identificadas é conhecida apenas a partir de fragmentos.

Um jovem esqueleto de 135 milhões de anos

Segundo os cientistas, é difícil precisar a idade exata que o dinossauro tinha ao morrer. "Um tiranossauro recém saído da casca teria mais ou menos este tamanho”, diz Rauhut. "Mas ele também poderia ser um ano mais velho."

Não há dúvida de que se trata de um animal jovem por causa do tamanho do crânio e das proporções e superfície dos ossos. Informações sobre animais jovens são particularmente importantes para que os pesquisadores possam entender os mecanismos evolutivos.

Também a descoberta de pêlo é significativa. Os pêlos de dinossauros são há anos o foco de muitas pesquisas, pois deles se originaram as penas do urvogel (ave original) Archaeopteryx. "Em resumo, podemos dizer que este novo terópode é provavelmente o mais importante fóssil de archosauria descoberto em solo alemão desde o Archaeopteryx", disse Rauhut.

A descoberta foi feita entre um e dois anos atrás, disse o paleontólogo, que não quis informar a exata localização nem o proprietário da área. Provavelmente o fóssil, que ainda precisa ser batizado com um nome científico, será mais tarde cedido a um museu.

BV/dpa
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais