1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Voo de Joanesburgo cancelado no Reino Unido
Voo de Joanesburgo cancelado no Reino UnidoFoto: Alberto Pezzali/AP Photo/picture alliance

Europa restringe voos de países africanos por nova variante

26 de novembro de 2021

Nações europeias como a Alemanha vivem quarta onda do coronavírus. Temendo nova variante encontrada na África do Sul, UE pede restrição da entrada de passageiros vindos de países do sul da África.

https://p.dw.com/p/43WmM

A nova variante do coronavírus detectada na África do Sul, aparentemente muito contagiosa, fez com que a União Europeia recomendasse nesta sexta-feira (26/11) aos países-membros do bloco que adotem restrições imediatas a voos provenientes de sete países do sul da África: além da África do Sul, Botsuana, Essuatíni, Lesoto, Moçambique, Namíbia e Zimbábue.

O Instituto Robert Koch (RKI), agência governamental alemã para o controle e prevenção de doenças, também anunciou que a partir de domingo os sete países e o Malawi seriam considerados áreas de variante de vírus, o que restringe a entrada de viajantes desses países a cidadãos alemães, residentes na Alemanha ou viagens com motivo urgente. 

Segundo o ministro alemão da Saúde, Jens Spahn, "a última coisa de que precisamos é trazer uma nova variante que vai causar ainda mais problemas", num momento em que o país começa a transportar pacientes de UTIs de regiões sobrecarregadas para áreas onde ainda há capacidade de acolher pessoas necessitadas de cuidados intensivos.

A Alemanha registra novos recordes diários de infecções e está mergulhada na quarta onda de contágio pelo novo coronavírus. Nesta sexta-feira, a incidência de novos casos por cem mil habitantes em sete dias bateu recorde pelo décimo nono dia seguido, subindo para 438,2. Nas 24 horas anteriores, a Alemanha registrou 76.414 novas infecções, outro recorde desde o início da pandemia.

Aeronave da Força Aérea Alemã com macas para transportar pacientes em estado grave para UTIs com capacidade no país
Força Aérea Alemã se prepara para transportar pacientes entre regiões do paísFoto: Kevin Schrief/Bundeswehr/picture alliance/dpa

Quais são as restrições a voos da África do Sul?

A proposta de restrição total do tráfego aéreo entre África do Sul e Europa pode ser colocada em prática já na noite desta sexta-feira (26/11). Os europeus que retornarem da região sul do continente africano devem fazer quarentena de 14 dias.

No momento, somente cidadãos alemães e residentes na Alemanha que desejam retornar para casa podem voar da África do Sul para a Alemanha. Além da Alemanha, Áustria, Itália, Israel e Reino Unido também já impuseram restrições aos voos para e a partir da África do Sul.

A Lufthansa, maior empresa do setor aéreo alemão, disse que vai implementar a medida e que deve continuar a operar voos de carga e de passageiros "para trazer as pessoas para casa". 

O que se sabe sobre a nova variante?

Segundo cientistas, a nova variante do coronavírus detectada na África do Sul é uma preocupação por causa do alto número de mutações. Isso estaria ajudando o vírus a driblar a resposta imunológica do corpo humano e a torná-lo mais transmissível.

Enquanto a variante delta possui duas mutações e a variante beta – originária da África do Sul – possui três, a B.1.1.529 teria pelo menos 32 mutações da proteína spike.

Pessoas mais jovens parecem estar contraindo e espalhando a variante recém-identificada. Cientistas afirmam, porém, que as próximas semanas serão essenciais para determinar a gravidade e as características de transmissão da cepa.

O surgimento da nova variante também provocou a abertura em queda das principais bolsas europeias nesta sexta, com baixas superiores a 3%. Além disso, impulsionou a queda do preço de petróleo.

Em Israel, o Ministério da Saúde afirmou que detectou o primeiro caso da nova variante numa pessoa que voltou do Malawi. O viajante e mais duas pessoas suspeitas de terem sido contaminadas pela nova cepa estão em quarentena. Os três possuem ciclo vacinal completo. 

gb/rk (AFP, EFE, DPA, DW)

Pular a seção Mais sobre este assunto
Pular a seção Conteúdo relacionado