Os gatos esquecidos de Fukushima | DW Brasil | Notícias e análises do Brasil e do mundo | DW | 11.03.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Os gatos esquecidos de Fukushima

[Vídeo] Após o desastre nuclear de Fukushima, Sakae Kato permaneceu na região enquanto as pessoas fugiam dali. Desde então, há dez anos, ele cuida de gatos abandonados. "Só vou sair daqui quando o último gato morrer", diz.

Assistir ao vídeo 03:11

Há dez anos, quando todos fugiram de Fukushima, Sakae Kato encontrou um novo propósito: ele começou a resgatar e a cuidar de gatos abandonados da região. Ele cuida de 41 gatos e até mesmo de javalis e diz que já gastou ao menos 750 mil dólares.

Em 11 de março de 2011, um terremoto de magnitude 9, um dos mais fortes registrados, teve seu epicentro no mar e gerou um tsunami que atingiu principalmente a costa da província de Fukushima, no Japão, dentro de meia hora. O tsunami gerou o colapso na usina nuclear de Daiichi. É o pior desastre natural na memória viva do país e o maior do mundo desde Chernobyl. Cerca de 18.500 pessoas morreram ou ficaram desaparecidas. 

Quase meio milhão de pessoas foram deslocadas em toda a região nordeste do país. Mesmo dez anos depois, 42.565 pessoas, incluindo 35.725 antigos moradores de Fukushima, ainda não conseguiram voltar para casa.