Opinião: Kamala Harris é escolha corajosa de Biden | Notícias internacionais e análises | DW | 12.08.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Opinião

Opinião: Kamala Harris é escolha corajosa de Biden

Após muita espera, os democratas anunciaram sua candidata a vice-presidente. Uma decisão histórica, mas arriscada. A senadora pode atrair votos do eleitorado negro, mas abre uma nova frente para ataques de opositores.

Kamala Harris

Oradora carismática, Harris pode gerar a tão necessária empolgação entre o eleitorado democrata

A candidata a vice-presidente de Joe Biden foi assunto discutido de forma tão acalorada nas últimas semanas quanto recentemente sobre quem despontaria como candidato presidencial democrata. Com a senadora Kamala Harris, Biden e seus assessores escolheram agora uma mulher que era uma das grandes favoritas desde o início.

Mas Harris também é uma escolha arriscada. A senadora da Califórnia, que encerrou sua pré-candidatura presidencial em dezembro de 2019, chamou atenção sobretudo por seus violentos ataques contra Biden nos debates entre os pré-candidatos democratas. Sua crítica: Biden não se distanciou o suficiente de ex-colegas do Senado que teriam apoiado a segregação racial nos EUA.

Não é tão incomum que uma oponente pré-eleitoral se torne uma "companheira de chapa". Entretanto, Harris oferece aos oponentes políticos uma grande superfície de ataque devido à sua carreira até agora. Durante seu tempo como procuradora-geral da Califórnia, ela era agressiva demais e nem sempre justa na luta contra o crime, segundo seus críticos. Mesmo durante sua própria pré-candidatura presidencial, foi acusada de não ter investigado suficientemente casos em que negros foram mortos por tiros da polícia.

Isso a torna um risco para Biden. Afinal, não será apenas a equipe de campanha de Donald Trump que vai revirar o passado de Harris. Até democratas liberais na ala mais à esquerda do partido, com os quais Biden já tem uma posição difícil, não gostam de ver Harris tentando se apresentar a posteriori como uma "jurista progressista".

Ainda assim, a escolha de Harris foi uma jogada inteligente de Biden. Ela é uma oradora carismática que pode conquistar o público e gerar a tão necessária empolgação no eleitorado democrata. E ela é a primeira candidata negra ao cargo de vice-presidente de um dos dois grandes partidos. Um momento histórico para um país em que o racismo e a desvantagem sistemática dos negros americanos estão atualmente entre as questões dominantes. Claro, Biden também espera conquistar ainda mais eleitores negros.

É considerado provável que, devido à sua idade avançada, Biden governaria apenas por um mandato e, então, abriria o caminho para sua vice-presidente. Kamala Harris poderia então se tornar a primeira mulher presidente dos Estados Unidos. Mas isso ainda é algo distante. Agora o que importa para a chapa Biden-Harris é vencer a eleição em novembro.

--

Carla Bleiker é correspondente da DW em Washington

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Facebook Messenger | Twitter
YouTube | App | Instagram | Newsletter

Leia mais