ONU lança iniciativa para zerar emissões até 2050 | Notícias internacionais e análises | DW | 05.06.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Meio Ambiente

ONU lança iniciativa para zerar emissões até 2050

Campanha "Race to Zero", lançada no Dia Mundial do Meio Ambiente, visa alertar para a necessidade de ações mais decisivas na proteção do clima e já conta com a adesão de centenas de cidades, empresas e universidades.

Iniciativa da ONU visa eliminar emissões de gases causadores do efeito estufa, como o dióxido de carbono, até 2050

Iniciativa da ONU visa eliminar emissões de gases causadores do efeito estufa, como o dióxido de carbono, até 2050

O secretariado da ONU para o clima lançou nesta sexta-feira (05/06), quando se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente, uma nova iniciativa de combate às mudanças climáticas.

Com o lema "Race to Zero" ("corrida para o zero"), a campanha tem como objetivo eliminar as emissões de gases causadores do efeito estufa, como o dióxido de carbono, até, o mais tardar, 2050.

De acordo com a ONU, quase mil empresas, 458 cidades, 24 estados e regiões, 500 universidades e 36 investidores de grande porte já se comprometeram com a meta ambiciosa estipulada pela iniciativa. Entre estas, empresas como a Rolls-Royce, Nestlé e o conglomerado têxtil Inditex.

Mais de 120 países também adotaram a meta de se atingirem a neutralidade climática até 2050. O presidente da próxima Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 26), o ministro britânico da Energia, Alok Sharma, declarou que as economias mundiais devem ser reconstruídas de modo mais sustentável e limpo após a pandemia de covid-19.

Em sua avaliação, a iniciativa "Race to Zero" deve ser voltada para incentivar empresas e governos regionais a demonstrar mais ambição na proteção do clima.

Ocorrências de climas extremos em diferentes partes do mundo – como furacões gigantescos na África Oriental, incêndios florestais devastadores nos Estados Unidos e na Austrália e o encolhimento das camadas de gelo nos polos – servem como demonstração do que poderá acontecer se a humanidade não conseguir conter o aquecimento global.

Segundo o Painel Intergovernamental das Mudanças Climáticas, o planeta está em torno de 1º C mais quente do que era no período pré-industrial. Os últimos quatro anos foram os de temperaturas mais altas desde o início dos registros.

RC/dpa

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais