ONU acusa regime sírio por ataque químico | Notícias internacionais e análises | DW | 26.10.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

ONU acusa regime sírio por ataque químico

ONU e Opaq entregam relatório de investigação conjunta sobre ataque à cidade de Khan Cheikhoun, que deixou mais de 80 mortos em abril. Especialistas concluem que avião militar sírio usou gás sarin em bombardeio.

Voluntários ajudam a transportar feridos em ataque em Khan Cheikhoun

Ataque em Khan Cheikhoun deixou mais de 80 mortos

A ONU acusou o regime do presidente Bashar al-Assad de ser o responsável por um ataque químico à cidade de Khan Cheikhoun no início de abril. Essa é a conclusão da investigação sobre o caso, cujo relatório foi enviado nesta quinta-feira (27/10) ao Conselho de Segurança das Nações Unidas.

"O grupo [de peritos] está convencido de que a República Árabe Síria é responsável pelo uso de sarin em Khan Cheikhoun, em 4 de abril de 2017", afirmou o relatório da investigação, conduzida por especialistas da ONU e da Organização para a Proibição das Armas Químicas (Opaq).

Os especialistas concluíram que um avião militar sírio jogou uma bomba com gás sarin na cidade da província de Idlib, que é controlada por rebeldes. O ataque deixou ao menos 83 civis mortos, a maioria mulheres e crianças.

Assistir ao vídeo 01:02

Suposto ataque químico deixa dezenas de mortos na Síria

A investigação confirmou as suspeitas iniciais de França, Estados Unidos e Reino Unido. "O relatório confirma o que há muito tempo sabemos ser verdade", disse em comunicado a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley.

"Tivemos várias confirmações independentes do uso de armas químicas pelo regime de Assad. E, apesar desses relatórios independentes, vemos alguns países protegendo o regime", acrescentou Haley, em referência à Rússia, e pediu ao Conselho de Segurança que envie uma mensagem clara de que o uso de armas químicas não será tolerado.

O ataque em Khan Cheikhoun foi condenado pela comunidade internacional e motivou o primeiro ataque aéreo de Washington contra o regime de Assad. Os Estados Unidos bombardearam a base aérea síria de onde se acreditava que tenha partido o caça que lançou o ataque químico.

A Síria sempre negou ter usado armamento químico no bombardeio. Assad e a Rússia alegam que o regime atingiu, por engano, um depósito usado pelos rebeldes para armazenar seu arsenal químico. O governo sírio alega ter entregado seu arsenal do tipo à Opaq em 2013.

Os especialistas da ONU já tinham acusado o regime de Assad de utilizar armas químicas em várias ocasiões entre 2014 e 2015. O Estado Islâmico também foi acusado de fazer uso desse tipo de armamento.

No início de setembro, a comissão de inquérito da ONU sobre a situação dos direitos humanos na Síria já tinha responsabilizado o regime sírio pelo ataque em Khan Cheikhoun. 

CN/ap/efe/lusa/rtr

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados