O Brasil na imprensa alemã (16/08) | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 16.08.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Brasil

O Brasil na imprensa alemã (16/08)

Milionária transferência de Neymar para o Paris Saint-German ainda é destaque nos sites de notícias. Spiegel Online vê relação entre quantias pagas por jogadores de futebol e evolução do preço do petróleo.

Agência DPA – Brasil desbanca Alemanha como n° 1, 10/08/2017

"No atual ranking da Fifa, o campeão mundial, a Alemanha, caiu do primeiro para o segundo lugar. O número 1 é novamente o Brasil, como anunciou a Federação Internacional de Futebol.

A Argentina ocupa o terceiro lugar. Atrás dela, como quarta colocada, a equipe nacional da Suíça alcança a sua melhor colocação desde 1994. A razão está nas impecáveis qualificações para Mundiais de Futebol. De acordo a Fifa, a Polônia está em quinto lugar – uma posição nunca antes alcançada. Em seguida vêm Portugal, Chile, Colômbia, Bélgica e França, entre os sexto e décimo lugares."

Spiegel Online – O que a loucura Neymar tem que ver com a crise automotiva, 11/08/2017

"O que a transferência milionária, na casa dos três dígitos, do bonequinho futebolístico Neymar tem que ver com a tecnologia de propulsão dos carros alemães? Quase nada, dirá você. Fora, claro, que os dois estão ocupando as manchetes por estes dias. É mesmo? Talvez valha a pena dar uma olhada mais de perto.

Se para jogadores altamente incensados como Neymar são pagas somas cada vez mais astronômicas, isso pode ter que ver, em grande parte, com o também astronômico aumento dos ganhos de milionários do gás e do petróleo, como o proprietário do novo clube de Neymar, nos últimos dez anos – ou seja, pessoas que lucram todas as vezes que enchemos o tanque. E das quais somos tremendamente dependentes do ponto de vista econômico. E é aqui que entra a desprezível tecnologia de propulsão. E uma possível solução para todos os problemas.

Absurdo, mas verdadeiro: o chefe do Paris Saint-German, representando a casa real do Catar, transferiu quase um quarto de bilhão de euros pela compra de Neymar na semana passada para a sua então equipe, o Barcelona, que, por sua vez, havia adquirido o brasileiro também graças ao dinheiro de seu principal patrocinador – claro, o Catar.

A razão para a xequização do futebol da Europa deve estar em outro lugar – possivelmente na deplorável evolução dos preços mundiais do petróleo. Coincidência ou não. Os preços cada vez mais astronômicos da aquisição de jogadores acompanham visivelmente a explosão dos preços de petróleo e gás natural desde o início do século até meados da atual década – de então menos de 20 dólares por barril de petróleo bruto para bem mais de 100 dólares, durante algum tempo."

Sport 1 – Neymar marca na estreia no PSG, 14/08/2017

"Em seu primeiro jogo após a transferência recorde para o Paris Saint-Germain, Neymar mostrou logo a sua classe. Em Guingamp, ele foi artilheiro e líder de assistências.

O superstar Neymar celebrou uma estreia dos sonhos no Paris Saint-Germain: o homem de 222 milhões de euros venceu com o campeão da Copa da França, na Bretanha, o EA Guingamp por 3 a 0 e estabeleceu, com um gol (aos 37 minutos do segundo tempo) e uma interessante assistência a Edinson Cavani (aos 17 minutos do segundo tempo), os primeiros pontos altos na Liga 1. Anteriormente, Jordan Ikoko colocou o PSG na frente com um curioso gol contra (aos 7 minutos do segundo tempo)."

CA/ots

Leia mais