Netflix centra debate no primeiro dia de Cannes | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 17.05.2017

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Cultura

Netflix centra debate no primeiro dia de Cannes

Chega ao júri a polêmica sobre a participação do serviço de streaming no festival francês, gerando embate entre o cineasta Pedro Almodóvar e o ator Will Smith. Duas produções da Netflix disputam a Palma de Ouro.

Ao centro, os atores Jessica Chastain e Will Smith e o cineasta Pedro Almodóvar, membros do júri

Ao centro, os atores Jessica Chastain e Will Smith e o cineasta Pedro Almodóvar, membros do júri

A 70ª edição do Festival de Cannes teve início nesta quarta-feira (17/05), e um debate acalorado sobre salas de cinema versus serviços de streaming, como a Netflix, que traz filmes à competição, centrou a entrevista de abertura com o júri do festival, presidido pelo cineasta Pedro Almodóvar.

"Eu não posso conceber que a Palma de Ouro, assim como qualquer outro prêmio, seja concedida a um filme que não será exibido depois numa sala de cinema", declarou o espanhol à imprensa.

"Isso não quer dizer que não estou aberto ou que não respeito novas tecnologias e as possibilidades que elas oferecem. Reconheço-as, mas enquanto eu estiver vivo, lutarei por algo que acredito que a nova geração não compreende: a capacidade de hipnose da tela grande", acrescentou Almodóvar.

Em contraponto, o ator Will Smith, que também faz parte do júri do festival francês neste ano, saiu em defesa da plataforma de streaming, afirmando que a Netflix aumentou a "compreensão cinematográfica global" de seus três filhos, que têm 16, 18 e 24 anos de idade.

Smith, que estrela o filme Bright, em fase de pós-produção pela Netflix, disse ainda que os filhos, apesar de usuários assíduos do serviço de streaming, frequentam as salas de cinema regularmente.

"Na minha casa, a Netflix não afetou o hábito dos meus filhos de ir ao cinema. Eles vão para serem impactados por certas imagens e ficam em casa para outros filmes. Na minha casa, a Netflix só foi benéfica, eles assistem a coisas que jamais veriam", disparou o ator durante a coletiva em Cannes.

Duas produções da Netflix entraram na disputa pela Palma de Ouro neste ano: Okja, de Bong Joon Ho, e The Meyerowitz Stories, de Noah Baumbach. Os filmes serão lançados na plataforma de exibição pela internet, ficando disponíveis apenas aos assinantes, e não devem chegar às telonas.

A polêmica sobre a participação da Netflix na competição, que ocorre pela primeira vez, não é de hoje. Na semana passada, a organização do festival anunciou mudanças nas regras, decidindo que, a partir do ano que vem, todo filme que concorrer à Palma de Ouro deve ser lançado nos cinemas franceses.

EK/afp/ap/dpa/lusa/rtr

Leia mais