Número de cidadãos da UE deixando Reino Unido é o maior em uma década | Notícias internacionais e análises | DW | 22.02.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

União Europeia

Número de cidadãos da UE deixando Reino Unido é o maior em uma década

No geral, porém, migração para o Reino Unido aumentou nos 12 meses encerrados em setembro passado devido ao ingresso de pessoas de fora da União Europeia.

default

Depois da decisão do Reino Unido em sair da União Europeia, número de europeus deixando o país aumentou

O número de cidadãos da União Europeia (UE) que deixaram o Reino Unido aumentou em 2017, chegando a 130 mil nos 12 meses encerrados em setembro passado. É o número mais alto desde 2008.

Ao mesmo tempo, 220 mil cidadãos europeus entraram no país no mesmo período, o que representa uma queda de 47 mil em relação ao ano anterior.

Assim, a diferença entre o número de pessoas chegando e saindo (a taxa de migração líquida anual) caiu para 90 mil. Em cinco anos, é a primeira vez que esse número volta a ficar abaixo de 100 mil.

Leia também: Cidadãos da UE não terão mesmos direitos após Brexit, diz May

O Instituto Nacional de Estatísticas (ONS, na sigla em inglês) afirmou que a queda na taxa líquida pode estar relacionada à decisão do Reino Unido de sair da UE. Porém, de acordo com Nicola White, chefe de estatísticas de migração internacional da ONS, a decisão de migrar é complicada e pode ser influenciada por inúmeras razões.

A migração de países que não fazem parte da UE, porém, está em alta. Cerca de 285 mil pessoas chegaram ao Reino Unido nos 12 meses encerrados em setembro, e apenas 80 mil foram embora. A diferença de 205 mil é a maior em seis anos para os estrangeiros de fora da UE.

Além disso, 125 mil britânicos deixaram o Reino Unido no mesmo período, e 73 mil retornaram ao país. Ao todo, a taxa líquida de migração é de 244 mil, ou seja, o número de pessoas que entrou no país no período considerado menos as que foram embora.

Esse número está bem longe da meta anunciada pela primeira-ministra Theresa May, que prometera reduzir a taxa para abaixo de 100 mil. May também prometeu restringir os direitos de cidadãos europeus no Reino Unido depois do Brexit e conter a migração de países que não fazem parte da UE.

O Brexit foi aprovado por 51,9% dos britânicos em referendo realizado em julho de 2016, mais de quatro décadas depois de o país aderir ao bloco comunitário europeu. Desde então, o país vem negociando o divórcio com a UE.

RG/dpa/ots

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados