Milhares exigem liberdade para separatistas na Catalunha | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 15.04.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Catalunha

Milhares exigem liberdade para separatistas na Catalunha

Em protesto convocado por plataforma pró instituições catalãs e direitos fundamentais, manifestantes defendem políticos presos como "reféns". Após libertação de Puigdemont na Alemanha, Madri insiste em sua extradição.

Governo espanhol nega tratar-se de presos políticos na Catalunha

Governo espanhol nega tratar-se de presos políticos na Catalunha

Milhares de catalães manifestaram-se neste domingo (15/04) em Barcelona, exigindo a libertação e permissão de retorno para líderes separatistas acusados de rebelião. Segundo a polícia, 315 mil cidadãos foram as ruas. Segundo os organizadores, o comparecimento foi muito maior.

"Liberdade para os presos políticos" e "Nada mais de reféns", escutava-se e lia-se nas ruas da capital da região espanhola da Catalunha. Os protestos são a favor de sete políticos exilados e nove em prisão preventiva. Entre estes últimos estão Jordi Cuixart e Jordi Sánchez, indicado pelo parlamento como candidato presidencial regional. Ambos encaram penas de até 30 anos de prisão.

Leia mais: Catalunha vai às urnas dividida

Os manifestantes usavam uma fita amarela, em solidariedade com os separatistas detidos. Recentemente o ministro espanhol da Justiça, Rafael Catalá Polo, tachou esse sinal de "insultuoso", alegando que com isso querem dizer que "há presos políticos na Espanha, quando o que há são políticos presos".

Nove separatistas estão exilados, nove em prisão preventiva

Nove separatistas estão exilados, nove em prisão preventiva

Madri insiste em extradição de Puigdemont

O protesto foi convocado por uma plataforma criada em março para "defender as instituições catalãs" e "os direitos e liberdades fundamentais" dos cidadãos. O fato de dois grandes sindicatos, Comisiones Obrerase e UGT, se terem juntado à iniciativa, juntamente com as associações separatistas Assembleia Nacional Catalã e Omnium, provocou fortes protestos entre seus membros contrários à independência.

Leia mais:Puigdemont insta Madri a "respeitar a democracia"

Numa região extremamente dividida sobre a questão da independência, a mobilização ocorre dez dias após a Alemanha ter libertado o ex-presidente independentista catalão Carles Puigdemont, depois que o tribunal rejeitou as acusações de rebelião.

No entanto na quinta-feira magistrados espanhóis enviaram a seus colegas alemães elementos com o fim de provar a existência de "violência justificando a rebelião" de acordo com Madri, na esperança de obter a extradição de Puigdemont para a Espanha.

AV/lusa,afp,dpa

___________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais