Massacre deixa 16 mortos no sul da Alemanha | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 11.03.2009
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Massacre deixa 16 mortos no sul da Alemanha

Jovem atira em estudantes e professoras de escola na Alemanha. Massacre deixa 16 mortos, entre estes o próprio atirador.

default

Winnenden: estado de alerta diante da escola Albertville

Um atirador de 17 anos invadiu uma escola de ensino fundamental na cidade de Winnenden, no estado de Baden-Württemberg, no sudoeste alemão, disparando vários tiros e provocando um massacre que deixou um saldo de 16 mortos.

O jovem Tim K., segundo informações divulgadas pela polícia local, foi diretamente em direção a duas salas de aula após entrar no prédio da escola, matando a seguir nove estudantes (todos entre 14 e 15 anos) e três professoras. "Ele simplesmente atirou para todos os lados", afirmou um porta-voz da polícia ao site da revista Spiegel.

Comportamento não levantava suspeitas

O atirador era ex-aluno da escola Albertville, que tem 580 alunos. Segundo autoridades locais, ele não se destacava por qualquer tipo de comportamento suspeito, tendo deixado a escola no ano passado antes de iniciar um curso de formação profissionalizante.

Depois do massacre, o atirador fugiu de carro em direção ao centro da cidade. Na fuga, ele matou mais duas pessoas e deixou dois policiais feridos, morrendo após uma troca de tiros com policiais na localidade de Esslingen.

Apoio às vítimas

Amoklauf in Winnenden Baden Wuerttemberg

Policiais tomam a escola

O jovem, vestido de preto, teria chegado à escola por volta das 9h30min na pequena cidade de 27 mil habitantes, situada a 20 quilômetros de Stuttgart.

Não se sabe ainda o motivo que possa ter levado o atirador a disparar a arma na escola. Os alunos que testemunharam o fato estão recebendo apoio médico e psicológico.

Pesar e consternação

Tanto a chanceler federal Angela Merkel quanto o presidente Horst Köhler lamentaram o ocorrido. O porta-voz do governo em Berlim, Ulrich Wilhelm, acentuou "o profundo pesar e consternação" da premiê.

A ministra alemã da Família, Ursula von der Leyen, assinalou a necessidade de uma melhor precaução de casos como esse no país, entre outros através de uma cooperação mais estreita entre as escolas e as famílias.

Lembrança de Erfurt

O governo da Turíngia ofereceu todo o apoio às vítimas dessa "tragédia inconcebível", nas palavras de Bernard Müller, secretário de Cultura. Neste estado alemão ocorreu um caso semelhante em abril de 2002, na cidade de Erfurt, quando um jovem matou 16 pessoas e depois se suicidou.

A prefeita de Erfurt, Tamara Thierbach, ofereceu apoio às autoridades de Wenningen. "Temos pessoal com experiência em situações de crise, que podem auxiliar numa situação difícil como essa", afirmou Thierbach.

Leia mais

  • Data 11.03.2009
  • Autoria SV/RW/dpa/ap/rtr/afp
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente https://p.dw.com/p/H9lK
  • Data 11.03.2009
  • Autoria SV/RW/dpa/ap/rtr/afp
  • Imprimir Imprimir a página
  • Link permanente https://p.dw.com/p/H9lK