Mais de 1 bilhão de pessoas devem participar da Hora do Planeta 2011 | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 26.03.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Ciência e Saúde

Mais de 1 bilhão de pessoas devem participar da Hora do Planeta 2011

Residências, pontos turísticos e monumentos apagam suas luzes por uma hora em todo o mundo. O movimento internacional Hora do Planeta, que começou em 2007, chama atenção para catástrofes e mudanças climáticas.

default

Organizadores prometem bater recorde do ano passado

Segundo a organização ambientalista WWF, mais de um bilhão de pessoas em 4.616 cidades de todo o mundo apagaram as luzes de suas casas pelo movimento internacional Hora do Planeta no ano passado. Neste ano, a WWF promete uma mobilização ainda maior.

Neste sábado (26/03), às 20h30, milhões de pessoas em milhares de cidades de 134 países apagam suas luzes por uma hora para chamar a atenção para o aquecimento global e as mudanças climáticas.

O evento é organizado pela Rede WWF em colaboração com governos e instituições de todo o planeta. O movimento, que hoje é um grande sucesso, teve início em Sidney, na Austrália, em 2007. "Aproveitem os 60 minutos de escuridão para esclarecer o planeta", disse o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, em mensagem de saudação.

Earth Hour / Paris / Klimaschutz

Torre Eiffel apagada: 60 minutos de escuridão para esclarecer o planeta

Minuto de silêncio

O primeiro país a apagar suas luzes neste sábado foi a Nova Zelândia. Na Alemanha, 63 localidades prometem aderir ao movimento, estabelecendo assim um novo recorde. No Brasil, 83 cidades declararam seu apoio, inclusive o Rio de Janeiro, onde vários pontos turísticos e monumentos ficam às escuras de 20h30 às 21h30 deste sábado.

O Rio de Janeiro participa pela terceira vez consecutiva do movimento internacional. O evento prevê o corte de energia no Cristo Redentor, na Praia de Copacabana, no Monumento aos Pracinhas, na Igreja da Penha e na Catedral. As luzes dos Arcos da Lapa se apagam pela primeira vez na história.

Este ano, o primeiro minuto da Hora do Planeta é dedicado às vítimas de catástrofes naturais ocorridas recentemente, entre elas as enchentes na região serrana no Rio de Janeiro e o terremoto seguido de tsunami no Japão.

Na Alemanha e no mundo

Earth Hour / Berlin / Klimaschutz

Portão de Brandemburgo também apaga luzes

Um minuto de silêncio em memória dos acontecimentos na usina nuclear de Fukushima, no Japão, também marca o início do evento central da Hora do Planeta na Alemanha, em Berlim, com o apagar das luzes no Portão de Brandemburgo.

Na praça Pariser Platz, onde se localiza o Portão, em vez da luz de holofotes e refletores, milhares de velas são acesas para formar o letreiro "Mudança Energética Agora". Além de Berlim, outros eventos ocorrem também em Colônia, Munique, Leipzig, Stuttgart, Hamburgo e Frankfurt.

Entre os monumentos internacionalmente famosos que apagam as luzes em prol de uma maior atenção para mudanças climáticas e catástrofes naturais e tecnológicas estão a Catedral de Colônia e o Castelo Neuschwanstein, na Alemanha, a Torre Eiffel, em Paris, e o Times Square, em Nova York.

CA/dpa/lusa
Revisão: Francis França

Leia mais