Luxemburgo quer tornar transporte público gratuito a partir de 2020 | Notícias internacionais e análises | DW | 21.01.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Luxemburgo quer tornar transporte público gratuito a partir de 2020

Medida busca estimular uso de ônibus, trens e metrô para combater o aquecimento global. Iniciativa é inédita na Europa. Governo já subsidia 90% dos gastos em transporte público.

Trem em Kirchberg, Luxemburgo

Além da gratuidade, governo quer ampliar rede ferroviária

O ministro da Infraestrutura de Luxemburgo, François Bausch, anunciou nesta segunda-feira (21/01) que o transporte público deve ser gratuito no país a partir de março de 2020. A iniciativa visa estimular o uso de ônibus, trens e metrô para tirar carros de circulação e, desta maneira, reduzir emissões que causam o aquecimento global.

Segundo Bausch, a gratuidade do transporte público é uma medida social importante, mas sozinha não é suficiente para garantir que as pessoas deixem de usar o carro. A iniciativa é inédita num país europeu.

A mudança deve custar ao governo 41 milhões de euros por ano e será financiada por impostos. Atualmente, o Estado já subsidia mais de 90% dos gastos nesta área, que chegam a 491 milhões de euros ao ano.

A gratuidade não será válida para a primeira classe em trens. Além disso, em algumas linhas de ônibus que são operadas por municípios a decisão de liberar a compra da passagem caberá às autoridades locais.

A mudança faz parte do novo conceito de mobilidade do país, que pretende ampliar ainda o setor de transporte público. Até 2023, o governo quer investir 2,2 bilhões de euros em ferrovias, e até 2030 substituir toda a frota pública de ônibus por veículos elétricos.

O maior sindicato de transportes do país se mostrou cético com os planos e disse que a mudança ameaça o trabalho de 350 funcionários que vendem passagens e que fazem controles em trens e metrôs.

Luxemburgo tem cerca de 600 mil habitantes. Segundo a revista eletrônica alemã Bento, cerca de 200 mil pessoas viajam diariamente ao pequeno país a partir da França ou da Alemanha para trabalhar. Esses também seriam beneficiados e poderão usar o transporte gratuito ao cruzar a fronteira.

CN/afp/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados