Lufthansa cancela 23 mil voos até 24 de abril | Notícias internacionais e análises | DW | 11.03.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Lufthansa cancela 23 mil voos até 24 de abril

Companhia aérea alemã reduz operações em meio à pandemia do novo coronavírus e anuncia possibilidade de mais suspensões. Cancelamentos atingem sobretudo rotas na Europa, Ásia e Oriente Médio.

Passageiros observam avião da Lufthansa

Lufthansa pretende manter pelo menos um voo para cada destino a partir dos centros de operação

A companhia aérea alemã Lufthansa anunciou nesta quarta-feira (11/03) que cancelará 23 mil voos entre 29 de março e 24 de abril devido ao surto do novo coronavírus. Além desses, a empresa acenou com outros cancelamentos nas próximas semanas.

"Devido a circunstâncias excepcionais, a Luftansa reduziu seus voos", divulgou a companhia em comunicado. Os cancelamentos atingem sobretudo rotas na Europa, Ásia e Oriente Médio. A Lufthansa afirmou que tomará precauções para que todos os destinos em todos os continentes sejam alcançados por pelo menos um voo do grupo a partir dos centros de operação da empresa em Frankfurt, Munique, Zurique, Viena e Bruxelas.

A atual suspensão das operações se une aos 7.100 cancelamentos anunciados anteriormente em toda a Europa, até o fim de sua tabela de inverno, em 28 de março.

A Austrian Airlines, que também pertence ao grupo, reduzirá em março e abril pela metade suas operações. Já a companhia de baixo custo Ryanair planeja suspender 30% dos voos entre 29 de março e 30 de abril.

Na semana passada, a Lufthansa havia anunciado a redução à metade de suas operações nas próximas semanas, devido a "reduções drásticas nas reservas de passagens e inúmeros cancelamentos de voos" em consequência do surto de coronavírus em vários países.

O anúncio dos cortes veio após se intensificarem os efeitos da disseminação global da doença covid-19. Os voos para a China e o Irã estão suspensos até o fim de abril, enquanto restrições impostas por Israel à chegada de não residentes de alguns países da União Europeia levaram a diretoria da Lufthansa a cancelar todos os voos para o país até 28 de março.

Devido ao surto, a companhia ofereceu a todos os passageiros até 31 de março a remarcação das passagens sem custo adicional. As viagens podem ser remarcadas para até 31 de dezembro deste ano.

A rápida disseminação do coronavírus atingiu em cheio o setor de aviação, com a redução do número de passageiros devido ao cancelamento de eventos, viagens de trabalho e férias. A Associação Internacional de Transportes Aéreos (Iata) alertou recentemente que o impacto no setor da aviação  deverá ser de entre 63 bilhões e 100 bilhões de dólares.

Nesta quarta-feira, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia do novo coronavírus. O número de casos fora da China se multiplicou por 13 em duas semanas, e o de países afetados triplicou. Segundo a OMS, já há mais de 118 mil casos de infecção com o vírus Sars-Cov-2 em 114 países, com 4.291 mortes oficialmente confirmadas.

CN/afp/rtr/dpa

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais