Lobos de bronze contra o extremismo de direita | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 13.09.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Lobos de bronze contra o extremismo de direita

Chemnitz, cidade no leste da Alemanha palco de recentes protestos anti-imigração, recebe instalação "Os lobos estão de volta", que inclui estátuas que fazem saudação nazista. Objetivo é questionar onda de radicalismo.

Estátua da instalação Os lobos estão de volta em Chemnitz

Estátuas possuem cabeças, garras e caudas de lobos, mas tronco e braços humanos

Dez lobos de bronze, alguns deles fazendo a saudação nazista, foram expostos nesta quinta-feira (13/09) na cidade de Chemnitz como parte de uma instalação artística contra a crescente onda de radicalismo na Alemanha.

Com até dois metros de altura e até três metros e meio de largura, as figuras possuem cabeças, garras e caudas de lobos, mas tronco e braços humanos. Cinco delas fazem a saudação de Hitler, enquanto outras parecem preparadas para atacar. Há ainda criaturas que trazem os olhos vendados e usam coleiras. 

A instalação "Os lobos estão de volta", do artista Rainer Opolka, é uma reação aos recentes protestos de extrema direita em Chemnitz, no estado da Saxônia, no leste do país.

Kunstaktion gegen Hetze und Gewalt (picture-alliance/dpa/J. Woitas)

"Precisamos de meios contra o medo que tomou conta de nosso país", afirma o artista Rainer Opolka

"Precisamos de meios contra o medo e a febre que tomou conta de nosso país, e de soluções contra o ódio e a violência", disse Opolka a respeito da obra. Para ele, os acontecimentos recentes em Chemnitz são sintoma de um fenômeno que provoca "medo e amargura em todo o nosso planeta, dividindo a sociedade".

Placas em torno da instalação acusam o partido populista de direita Alternativa para a Alemanha (AfD), o movimento Pegida (sigla em alemão para "Patriotas europeus contra a islamização do Ocidente") e neonazistas de instrumentalizarem as preocupações de cidadãos alemães. 

A coleção de lobos de Opolka já foi exibida em Berlim, Dresden e Potsdam desde 2016. A obra faz referência ao dito romano de mais de 2.200 anos "O homem é o lobo do homem", corroborado sucessivamente por pensadores como Erasmo de Roterdã, Thomas Hobbes, Sigmund Freud.

A instalação também se baseia no fato de neonaziszas e extremistas de direita, com frequência, descreverem a si mesmos como lobos.

Posicionada em frente a uma icônica estátua de Karl Marx em Chemnitz, a instalação poderá ser visitada até a noite desta quinta-feira.

Protestos de extrema direita

Recentes protestos contra estrangeiros atraíram milhares de pessoas, sendo grande parte apoiadores do Pegida e da AfD, a Chemnitz após um cidadão alemão ter sido morto durante uma briga na cidade. Três requerentes de refúgio são suspeitos do crime. 

O fato de suspeitos pelo crime serem estrangeiros acirrou os ânimos na cidade e teriam levado extremistas a perseguirem e atacarem pessoas que aparentavam ser estrangeiras durante os protestos. 

Instalação Os lobos estão de volta é exposta em Berlim (picture-alliance/dpa/P. Zinken)

Instalação foi exposta em 2016 em frente à estação central de trens de Berlim

No início de setembro, milhares de pessoas compareceram a uma série de shows em Chemnitz, em resposta às manifestações anti-imigração na cidade e em protesto contra a xenofobia e o racismo.

Na cidade de Köthen, também no leste alemão, manifestantes entoaram cânticos e palavras de ordem nazistas no üultimo domingo, durante uma marcha de luto pela morte de um homem após uma briga com imigrantes afegãos. 

A chanceler alemã, Angela Merkel, lamentou as mortes em Chemnitz e em Köthen e afirmou que os responsáveis devem ser punidos. Ela disse compreender que muitas pessoas estejam com raiva de supostos crimes cometidos por imigrantes, mas condenou expressões nazistas e ataques a estrangeiros que teriam ocorrido nos recentes protestos.

"Não há desculpa para uso de violência e de palavras de ordem nazistas ou para atacar pessoas com aparência diferente", disse a chanceler federal, ressaltando ser necessário haver um consenso sobre valores básicos da sociedade alemã.

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp |

 App | Instagram | Newsletter

Leia mais