1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Tschechien Prag | Gründungsgipfel Europäische Politische Gemeinschaft | Magdalena Andersson, Schweden, Scholz u.a.
Foto: Leonhard Foeger/REUTERS

Líderes da Europa se reúnem para demonstrar apoio à Ucrânia

6 de outubro de 2022

Chefes de Estado e de governo de 44 países estão na República Tcheca para participar da reunião inaugural da Comunidade Política Europeia.

https://p.dw.com/p/4Hs5g

Os chefes de Estado e de governo de 44 países da Europa que apoiam a Ucrânia se encontraram nesta quinta-feira (06/10) em Praga, na República Tcheca, para transmitir ao mundo uma imagem de união em meio à reunião inaugural da Comunidade Política Europeia.

"Aqueles que estão reunidos aqui sabem que o ataque russo à Ucrânia é uma violação brutal da ordem de segurança e paz que tivemos na Europa nas últimas décadas", disse o chanceler federal da Alemanha, Olaf Scholz.

"É importante que rejeitemos esse ataque, que não aceitemos que parte do país vizinho seja anexada", acrescentou.

Scholz disse que o fórum da Comunidade Política Europeia "não se trata de criar uma nova instituição com administração, burocracia", mas sim de "falar uns com os outros de uma maneira muito concreta".

Os participantes – incluindo todos os estados-membros da União Europeia (UE), bem como a Ucrânia, o Reino Unido, a Turquia, os estados dos Bálcãs Ocidentais e as repúblicas do Cáucaso, Armênia e Azerbaijão – desejam enviar um sinal de unidade ao presidente russo, Vladimir Putin. 

Ainda assim, a crescente dependência da Armênia de Moscou para suporte de segurança torna improvável que o país esteja sendo franco sobre o assunto.

A Ucrânia é representada presencialmente pelo primeiro-ministro, Denys Shmyhal. O presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, deve participar por meio de videoconferência.

Além da guerra na Ucrânia, outros temas da agenda estão relacionados à segurança, à energia e às mudanças climáticas. Os líderes europeus também discutirão formas de melhorar a cooperação entre as nações.

Truss adota discurso mais moderado que Johnson

A primeira-ministra britânica, Liz Truss, deve discutir migração com os líderes da França e da Holanda. Depois de uma saída conturbada da UE, o governo britânico, com sua nova líder, está adotando um tom mais leve do que o do antecessor, Boris Johnson.

Como os representantes da Armênia e do Azerbaijão também estão em Praga, ocorrem esforços diplomáticos para facilitar um encontro entre os dois lados, disse um funcionário da UE a repórteres em Bruxelas.

As ex-repúblicas soviéticas estão em conflito há décadas pelo controle do território de Nagorno-Karabakh. Em 2020, os combates se intensificaram e ambos se acusaram recentemente de quebrar um cessar-fogo. Neste ano, as trocas de agressões deixaram ao menos 176 militares mortos de ambos os lados.

le/gb (AFP, dpa, AP)