Kerry diz que há progressos nas negociações entre israelenses e palestinos | Notícias internacionais e análises | DW | 04.01.2014
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

Kerry diz que há progressos nas negociações entre israelenses e palestinos

Em décima visita ao Oriente Médio desde março, secretário de Estado dos EUA encontrou neste sábado o presidente palestino, Mahmud Abbas. Após reunião, norte-americano afirmou que houve avanços no processo de paz.

Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, se reuniu com presidente palestino, Mahmud Abbas

Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, se reuniu com presidente palestino, Mahmud Abbas

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, afirmou neste sábado (04/01) que israelenses e palestinos estão comprometidos em resolver suas diferenças e estão trabalhando com "grande intensidade e sério propósito" para alcançar a paz na região.

"Este é um trabalho difícil", afirmou Kerry a jornalistas após um encontro de duas horas e meia com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmud Abbas. Depois da reunião, o secretário de Estado voltou a Jerusalém, para conversar com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Kerry disse que sua equipe continuará trabalhando com o que foi negociado até o momento e voltará na próxima semana à região para continuar com o processo. O chefe dos negociadores palestinos, Saeb Erekat, assegurou, por sua vez, que está "trabalhando duro" para alcançar um acordo sobre todos os temas centrais.

"O fracasso não é uma opção. Estamos fazendo todo o humanamente possível para assegurar o êxito do secretário Kerry", afirmou Erekat. Ele disse, ainda, que espera que Israel se abstenha de qualquer ação que possa prejudicar o resultado das negociações.

"Retirando os obstáculos mais difíceis"

Em sua décima viagem à região desde março de 2013, Kerry tenta convencer Israel a reconhecer um Estado palestino que tenha as fronteiras como antes da Guerra de 1967, com leves modificações. Os palestinos, por sua vez, deverão admitir a existência de um Estado judeu com direito a defender seu território, além de declararem o fim definitivo do conflito.

O secretário de Estado dos EUA está intermediando uma intensa fase de negociações para que os dois lados do conflito concordem em fechar um acordo final em relação à disputa. “Não chegamos lá ainda, mas estamos fazendo progressos”, afirmou Kerry. “Nós estamos começando a retirar os obstáculos mais difíceis."

As negociações de paz entre israelenses e palestinos, mediadas pelos EUA, foram reiniciadas em julho, depois de uma paralisação de três anos, com objetivo de alcançar um acordo definitivo no prazo de nove meses.

FC/ap/afp/rtr/dpa

Leia mais