Islândia elimina Inglaterra e faz história | Siga a cobertura dos principais eventos esportivos mundiais | DW | 27.06.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Islândia elimina Inglaterra e faz história

Poucos dias após o Brexit, Inglaterra dá novo adeus à Europa, após sofrer possívelmente sua pior derrota no futebol. Com pouco mais de 320 mil habitantes, Islândia está entre as oito melhores seleções da Eurocopa 2016.

Assistir ao vídeo 02:30

Islândia no centro dos holofotes

História esportiva foi escrita nesta segunda-feira (27/06), em Nice. A Islândia derrotou a Inglaterra, por 2 a 1, e eliminou os inventores do futebol e donos da liga mais rica do mundo da Eurcocopa 2016. A Inglaterra sofreu o seu segundo Brexit em menos de uma semana e, provavelmente, sua pior derrota no futebol. Islândia, país com pouco mais de 320 mil habitantes, está entre as oito melhores seleções da Europa.

A partida em Nice teve um início frenético. Logo aos três minutos, Daniel Sturridge lançou Raheem Sterling, que foi derrubado pelo goleiro islandês Hannes Halldórsson. Pênalti: convertido pelo capitão inglês, Wayne Rooney, no canto direito.

O que parecia ser o começo de uma classificação tranquila para o English Team tornou-se rapidamente um pesadelo. Dois minutos após o gol inglês, veio a resposta da Islândia. Uma cobrança longa de lateral de Kári Árnason sobrou dentro da pequena área – Ragnar Sigurdsson só teve o trabalho de completar para o gol.

UEFA EURO 2016 Achtelfinale England vs. Island Kolbeinn Sigthorsson Tor

Goleiro inglês Joe Hart não consegue evitar o segundo gol islandês, marcado por Kolbeinn Sigthorsson (camisa 9)

A sensação do torneio voltou a chocar o país inventor do futebol aos 18 minutos, quando Kolbeinn Sighthórsson completou bela trama ofensiva da Islândia com um chute colocado, mas não indefensável, no canto direito de Joe Hart.

A improvável virada dos islandeses foi sentida pela seleção inglesa. A Inglaterra assustou com finalizações de longa distância e tentou furar a retranca da Islândia com bolas altas por trás da última linha defensiva do adversário, mas sem sucesso. Halldórsson não teve tanto trabalho assim, exceto num voleio de Harry Kane, aos 28 minutos.

De fato, as oportunidades mais claras na segunda etapa foram da Islândia. Aos 10 minutos, o autor do primeiro gol islandês emendou uma bicicleta dentro da área e quase marcou um golaço. Enquanto a excepcional condição física dos islandeses se destacava com a imensa quantidade de metros corridos por cada atleta, eles mostraram também qualidades na execução dos contra-ataques.

UEFA EURO 2016 Achtelfinale England vs. Island

Surpresa sim, pernas de pau não. A Islândia possui ótimo preparo físico, defendem bem, mas sabem jogar futebol

Aos 39 minutos, Aron Gunnarsson teve a definição da classificação em seus pés, mas Hart salvou. A pressão final da Inglaterra não surtiu efeito, faltou criatividade, faltou procurar a jogada individual e sobraram cruzamentos aéreos inofensivos.

Emoções explodiram com o apito final do árbitro. Vitória histórica de uma equipe que não se limitou em defender, que atuou como 11 amigos em campo e que sabem jogar futebol. Que venha a anfitriã França, no domingo, no Stade de France, em Saint-Denis.

UEFA EURO 2016 Achtelfinale England vs. Island

Desilusão nas reações de Joe Hart, Gary Cahill e Dele Alli, no que foi possivelmente a pior derrota da Inglaterra no futebol

Ficha técnica

Inglaterra 1 x 2 Islândia

Local: Stade de Nice, em Nice

Arbitragem: Damir Skomina (Eslovênia), auxiliado por seus compatriotas Jure Praprotnik e Robert Vukan.

Gols: Wayne Rooney (4'/1T), Ragnar Sigurdsson (6'/2T) e Kolbeinn Sigthorsson (18'/2T)

Cartões amarelos: Gylfi Sigurdsson (38'/2T), Daniel Sturridge (3'/2T) e Aron Gunnarsson (21'/2T)

Inglaterra: Joe Hart; Kyle Walker, Gary Cahill, Chris Smalling e Danny Rose; Dele Alli, Eric Dier (Jack Wilshere 1'/2T) e Wayne Rooney (Marcus Rashford 42'/2T); Daniel Sturridge, Raheem Sterling (Jamie Vardy 15'/2T) e Harry Kane. Técnico: Roy Hodgson.

Islândia: Hannes Halldórsson; Birkir Saevarsson, Kári Árnason, Ragnar Sigurdsson e Ari Skúlason; Gylfi Sigurdsson, Aron Gunnarsson, Johann Gudmundsson e Kirkir Bjarnason; Kolbeinn Sighthórsson (Elmar Bjarnason 321/2T) e Jón Dadi Bödvarsson (Arnor Ingvi Traustason (43'/2T). Técnico: Lars Lagerbäck e Heimir Hallgrímsson.

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados