1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Rafael Van der Vaart joga na Espanha e desfalca o HamburgoFoto: AP

Bundesliga desfalcada de mais uma estrela

Jefferson Chase (gr)
6 de agosto de 2008

A ida do meio-campo Rafael Van der Vaart para o Real Madrid não surpreendeu a ninguém. Mas mostrou que o único time da Bundesliga capaz de manter suas estrelas é o Bayern de Munique.

https://www.dw.com/pt-br/ida-de-van-der-vaart-para-espanha-desfalca-bundesliga-de-mais-um-astro/a-3543012

O Hamburgo confirmou já na segunda-feira (04/07) que seu melhor jogador, o meio-campo holandês Rafael Van der Vaart, estava a caminho da Espanha. A declaração do clube pôs fim às especulações a respeito de quando o meia seria vendido, para qual clube e por quanto dinheiro.

Van der Vaart descreveu a situação como um sonho que se tornou realidade. Já seu ex-treinador, o também holandês Martin Jol, lamenta a ida de Van der Vaart, dizendo ao jornal alemão Bild que ele considera o jogador "um dos melhores dos últimos 25 anos".

Que Van der Vaart é um dos melhores jogadores que já passaram pelo Hamburgo, ninguém duvida, pois foi contando com sua atuação que o clube se qualificou para competições internacionais por três anos consecutivos.

Quando o meia estava machucado, na primeira metade da temporada 2006/07, o Hamburgo teve a segunda pior atuação do campeonato, e, ironicamente, quando ele retornou, na segunda metade da temporada, o time subiu para a vice-liderança.

Não chores por mim, Hamburgo

O negócio entre o clube espanhol e o alemão foi avaliado em 14 a 16 milhões de euro, mas o preço final depende de como serão feitos os acertos entre Real Madrid e Van der Vaart. A venda do jogador foi feita pela metade de seu valor real no mercado – mas foi o melhor negócio que o Hamburgo poderia fazer.

Real Madrid Logo Fußball
Real Madrid é um dos times mais fortes e ricos do mundo

A partida do meia para terras castelhanas transforma o Hamburgo de concorrente ao título da Liga dos Campeões a um time "em fase de transição". E ainda sustenta o argumento que diz que clubes da Bundesliga não são páreos para os grandes clubes do futebol mundial.

O Bayern é o único capaz de figurar entre a elite futebolística, capaz de, não apenas trazer jogadores, bem como mantê-los em sua folha de pagamento. O time conta atualmente com Frank Ribery, Luca Toni, Miroslav Klose entre outras estrelas.

Mas qual a razão da falta de atratividade dos outros clubes da Bundesliga?

Dinheiro + sucesso= mais sucesso

Fato é que o Real Madrid é um dos clubes mais ricos do mundo, e o que deve confortar o Hamburgo é que mesmo outros gigantes do futebol estão tendo dificuldade em manter seus jogadores longe do assédio dos espanhóis. Como no caso do Manchester United com o atacante a estrela da seleção de Portugal, Cristiano Ronaldo.

Mas talvez mais importante que dinheiro seja o fato de que nenhum clube da Bundesliga, com exceção do Bayern, é um competidor de peso em torneios internacionais como a Liga dos Campeões.

Isso acontece em parte por causa da estratégia do Bayern de comprar jogadores de outros clubes alemães, fortalecendo seu time e enfraquecendo seus concorrentes domésticos.

Bayer Leverkusen é cardápio para o Bayern

WM-Auslosung 2005 in Leipzig, Michael Ballack, neuer WM-Ball
Ballack trocou o Bayer Leverkusen pelo Bayern de MuniqueFoto: AP

Em 2002 o Bayer Leverkusen chegou à final da Liga dos Campeões, perdendo para ninguém mais, ninguém menos que o Real Madrid. O clube, que pertence à maior companhia farmacêutica da Alemanha, deveria ser uma boa aposta para entrar para a elite do futebol europeu.

Mas o Bayern chegou como quem não quer nada e contratou os meias Michael Ballack e Zé Roberto, jogadores importantes do Bayer Leverkussen. Com o desfalque, a equipe quase foi rebaixada em 2003 e nunca mais conseguiu se qualificar para a Liga dos Campeões.

Nenhum outro clube alemão, fora os dois, conseguiu chegar às semifinais da Liga, quanto mais a uma final.

Enquanto o Bayern aproveita a glória e o sucesso com estrelas internacionais, times como o Hamburgo são fadados a perder jogadores do calibre de Van der Vaart.