Hackers invadem contas de Obama, Biden e Bill Gates no Twitter | Notícias internacionais e análises | DW | 15.07.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Redes sociais

Hackers invadem contas de Obama, Biden e Bill Gates no Twitter

Perfis de políticos, bilionários, empresas e celebridades disseminam mensagem de golpe financeiro com criptomoeda que prometia "retorno em dobro". Kanye West, Elon Musk e Apple também têm contas invadidas.

Contas na rede social Twitter de uma série de políticos, empresas, celebridades e figuras públicas em geral foram hackeadas nesta quarta-feira (15/07).

Entre os perfis invadidos estão contas do ex-presidente Barack Obama, do candidato à presidência dos EUA Joe Biden e do músico Kanye West e sua esposa, Kim Kardashian. O ataque ainda atingiu as contas dos bilionários Bill Gates, Elon Musk, Warren Buffet, Jeff Bezos e Michael Bloomberg.

Os perfis corporativos da Apple e do Uber também foram alvos da ação.

Após serem hackeadas, as contas reproduziram uma mensagem padrão que faz parte de um golpe financeiro que envolve o envio da criptomoeda bitcoin que promete retorno em dobro. Em quase todos os casos, as mensagens foram apagadas rapidamente pelos usuários.

Um tweet divulgado na conta de Musk, um dos primeiros a reproduzir a mensagem pirata, dizia: "Estou me sentindo generoso por causa da covid-19. Vou dobrar qualquer pagamento em bitcoin enviado para o meu endereço bitcoin na próxima hora. Boa sorte e fiquem seguros por aí!", dizia a mensagem, que informava ainda um endereço para o envio da moeda virtual.

A mensagem foi apagada rapidamente, mas outra foi publicada minutos depois pela conta do empresário, que tem 51 milhões de seguidores: "Estou dando bitcoin para todos os meus seguidores. Estou dobrando todos os pagamentos enviados para o endereço abaixo".

Já a conta de Gates, com 51,1 milhões de seguidores, publicou uma mensagem mais detalhada do golpe: "Estou dobrando todos os pagamentos enviados ao meu endereço BTC nos próximos 30 minutos. Você envia US$ 1.000, eu te envio US$ 2.000 de volta", dizia a mensagem, que também indicava um link para o envio do dinheiro.

A conta de Biden, candidato à presidência dos EUA pelo Partido Democrata, reproduziu uma mensagem similiar.

O ataque não atingiu apenas políticos dos EUA. A conta do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, também reproduziu a mensagem do golpe, em hebraico.

Segundo o jornal The New York Times, até o momento, 300 pessoas caíram no golpe, enviando dinheiro para o endereço indicado pelos hackers. No total, as vítimas mandaram pelo menos 100 mil dólares em bitcoins para a conta dos golpistas.

Transferências em Bitcoin normalmente não podem ser anuladas. Assim, quem enviou dinheiro à carteira divulgada pelos golpistas não deve conseguir recuperar as moedas. 

Segundo o jornal, a ação desta quarta-feira parece uma variação mais ousada de um velho golpe na rede social. Em outras ocasiões, fraudadores criaram contas que copiavam o perfil de celebridades ou figuras conhecidas para tentar convencer potenciais vítimas a mandar valores. Mas é a primeira vez que o golpe usa as contas verdadeiras de figuras públicas.

O Twitter comunicou que está investigando o caso e tomando os passos necessários para corrigir o problema.

JPS/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais