Grécia começa a sepultar mortos nos incêndios | Notícias internacionais e análises | DW | 28.07.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Europa

Grécia começa a sepultar mortos nos incêndios

Fogo devastador na região de Atenas deixou pelo menos 88 mortos. Premiê Alexis Tsipras assume responsabilidade política, em meio a críticas contra reação de seu governo à tragédia.

A Grécia vai começar neste domingo (29/07) a enterrar os mortos nos devastadores incêndios florestais que atingiram os arredores de Atenas esta semana e mataram ao menos 88 pessoas, incluindo várias crianças.

Três membros de uma mesma família, moradores do vilarejo de Mati, serão enterrados neste domingo. A família pediu à imprensa para que não compareça à cerimônia. As buscas por desaparecidos continuam, e muitos continuam sendo atendidos nos hospitais.

Nesta sexta-feira, o primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, assumiu a responsabilidade política pela tragédia. Falando a seu conselho de ministros, em discurso transmitido pela televisão, ele disse ter convocado os ministros para "assumir integralmente, perante o povo grego, a responsabilidade política por essa tragédia".

Mulher diante de sua casa destruída pelo fogo, num vilarejo perto de Atenas

Mulher diante de sua casa destruída pelo fogo, num vilarejo perto de Atenas

Apesar de ter anunciado uma lista de medidas após o desastre, o governo de esquerda do país foi alvo de fortes críticas por sua reação, considerada lenta, e também pelo pacote de medidas para as vítimas, tachado de insuficiente. Críticos também cobraram que o governo assumisse uma responsabilidade maior pela tragédia.

Sobreviventes e a oposição também acusaram Tsipras e seu governo de insensibilidade, devido à ausência de um pedido de desculpas. Tsipras não foi visto em público desde terça-feira, quando anunciou três dias de luto oficial, e não visitou os feridos nos hospitais.

"O que significa responsabilidade política?", questionou um homem de 79 anos em frente a sua casa totalmente queimada, em entrevista à televisão grega. "As palavras são bonitas, mas eu quero que ele diga a mim e às pessoas que perderam tudo de quem é a culpa, se não é dele."

Especialistas afirmaram que um misto de mau planejamento urbano, incluindo a falta de rotas apropriadas de acesso à praia, e muitas construções próximas de áreas florestais, incluindo casas construídas sem licença, aumentaram as proporções do desastre.

Bombeiro tenta consolar mulher que procura seu cachorro em meio a carros destruídos em Mati

Bombeiro tenta consolar mulher que procura seu cachorro em meio a carros destruídos em Mati

Os incêndios na Grécia deixaram ao menos 88 mortos, segundo o balanço mais recente, divulgado pelo chefe do serviço forense de Atenas, Nikos Karakukis. Segundo as autoridades, 53 das vítimas continuam hospitalizadas, entre elas quatro crianças, e 11 estão em estado crítico.

Das pessoas relatadas como desaparecidas, 40 foram encontradas vivas, de acordo com o ministro da Defesa Civil, Nikos Toskas. De acordo com o Ministério das Infraestruturas, a metade dos 3.546 edifícios já inspecionados está inabitável.

O governo grego divulgou nesta quinta-feira uma série de imagens de satélite para amparar sua denúncia de que os incêndios foram premeditados. Toskas afirmou haver evidências e testemunhos que sustentam essa hipótese. Segundo ele, em menos de meia hora foram registrados 13 focos de incêndio, todos alinhados paralelamente à estrada, o que as fotos e vídeos dos satélites confirmariam.

AS/rtr/afp/dpa/lusa

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais