Forças iraquianas tentam isolar EI em Mossul | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 29.10.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Forças iraquianas tentam isolar EI em Mossul

Milícias xiitas dão início a ofensiva para cortar as linhas de abastecimento entre Mossul, último bastião dos jihadistas no Iraque, e a Síria.

As milícias xiitas do Iraque anunciaram neste sábado (29/10) o início de uma ofensiva para conquistar a cidade de Tel Afar e outras zonas a oeste de Mossul, o último grande bastião do "Estado Islâmico" (EI) no país.

A operação tem o objetivo também de cortar as linhas de abastecimento dos jihadistas entre Mossul e a Síria. O responsável pelas operações militares na província de Nínive, general Najm al-Yabouri, afirmou que durante o avanço das milícias ocorreram grandes enfrentamentos, e os xiitas conseguiram obter o controle de sete cidades.

A operação começou após uma ordem do Exército iraquiano, que recentemente iniciou uma grande ofensiva para reconquistar Mossul com a ajuda das milícias xiitas e dos combatentes pershmerga curdos.

O ataque anunciado neste sábado pelas milícias não está sendo coordenado pela coalizão liderada pelos EUA, que geralmente participa da ofensiva por meio de apoio aéreo.

Apoio de xiitas é controverso

A participação das milícias xiitas na batalha para recuperar Mossul, de maioria sunita, é controversa. Moradores e políticos acusam as milícias de abusos, incluindo a morte de civis durante as operações para reconquistar a cidade de Falluja em meados deste ano.

De acordo com especialistas, um dos fatores que contribuiu para a ascensão do EI no Iraque foi a discriminação que a minoria sunita afirmava sentir por parte do governo xiita e das forças de segurança comandadas pelo ex-primeiro-ministro Nuri al-Maliki.

Depois da conquista de Mossul e de outras regiões no norte e oeste do Iraque por parte do EI, em 2014, Maliki se viu obrigado a renunciar ao cargo. O atual premiê iraquiano, Haider al-Abadi, assegurou que somente o Exército e a polícia iraquiana participam da atual ofensiva.

De acordo com as milícias xiitas, o seu papel será de recuperar zonas a oeste de Mossul, entre elas Tel Afar, e cortar a comunicação dos combatentes do EI na zona de Mossul em relação às unidades que se encontram em outros lugares do Iraque e no leste da Síria.

O Exército iraquiano anunciou que conseguiu recuperar a cidade de Al Shura, localizada 40 quilômetros ao sul de Mossul. Porém, há mais áreas a serem recuperadas nessa parte do que nas frentes que atuam no leste e norte do país, onde os pershmerga curdos e as unidades antiterroristas do Exército fizeram importantes avanços.

FC/dpa/afp/ap/efe

Leia mais