Filme de Karim Aïnouz é premiado em Cannes | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 24.05.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Festival de Cannes

Filme de Karim Aïnouz é premiado em Cannes

Longa "A vida invisível de Eurídice Gusmão" ganha mostra Um Certo Olhar. Essa é a primeira vez que um filme brasileiro vence a principal competição paralela do festival francês.

Cena do flime A vida invisível de Eurídice Gusmão

Telenovelas da década de 1970 serviram de inspiração para caráter melodramático do filme

O filme "A vida invisível de Eurídice Gusmão" do diretor Karim Aïnouz ganhou nesta sexta-feira (24/06) o prêmio principal da mostra Um Certo Olhar, a segunda mais importante do Festival de Cannes. Essa é a primeira vez que um longa brasileiro vence a principal competição paralela do evento.

Em seu terceiro longa-metragem, Aïnouz critica o Brasil conservador e machista por meio da história de duas irmãs cariocas cujos sonhos são enterrados pelo peso do patriarcado. Baseado no livro homônimo da brasileira Martha Batalha (Companhia das Letras, 2016), o filme narra a jornada, da adolescência nos anos 1950 à velhice, de duas irmãs cariocas.

Karim Aïnouz durante premiação da mostra Um Certo Olhar, em Cannes

Karim Aïnouz durante a premiação

Ao receber o prêmio, Aïnouz o dedicou às atrizes protagonistas do filme, Carol Duarte e Julia Stockler, e a todas as mulheres do mundo. "Vivemos um momento em que há muita intolerância no Brasil", destacou o diretor em seu discurso.

Poderoso em sentimentos, o filme reforça visualmente o caráter melodramático com uma grande densidade de cores e uma performance mais característica do teatro. As telenovelas da década de 1970 serviram de inspiração. O longa conta com a participação especial de Fernanda Montenegro, vivendo Eurídice na idade madura.

Com esta coprodução de Brasil e Alemanha, o diretor de Fortaleza participou de Cannes pela terceira vez, após projetar "Madame Satã", seu filme de estreia, em 2002 nessa mesma mostra paralela, enquanto em 2011 levou "O Abismo Prateado" à mostra da Quinzena de Produtores.

Neste ano, o júri da mostra Um Certo Olhar foi presidido pela atriz e diretora libanesa Nadine Labaki. Essa competição paralela à oficial de Cannes exibe obras com linguagem experimental e de diretores pouco conhecidos ou novatos. Dezoito filmes concorriam ao prêmio da mostra neste ano.

CN/efe/afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais