Explosão perto de centro de registro de refugiados na Baviera | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 27.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Explosão perto de centro de registro de refugiados na Baviera

Mala repleta de latas de spray e aerossol explode a cerca de 200 metros da entrada de um centro de registro de refugiados na cidade bávara de Zirndorf. Não há feridos.

Uma mala repleta de latas de spray e aerossol explodiu nesta quarta-feira (27/07), a cerca de 200 metros da entrada de um centro de registro de refugiados na cidade bávara de Zirndorf, perto de Nurembergue. Não houve feridos.

Testemunhas relataram terem escutado uma explosão numa viela e que, ao chegarem ao local, encontraram uma mala queimando perto de um pequeno jardim. Vários homens teriam deixado o local correndo.

"Não houve nenhuma detonação. Não havia uma bomba na mala", disse a polícia bávara, em comunicado. "É possível que uma lata de spray dentro da mala tenha causado a explosão. Não houve feridos."

A polícia comunicou também estar procurando pelos supostos proprietários da mala: um homem de cerca 30 anos de idade e uma mulher com aproximadamente 25 anos. Além da mala que explodiu, os dois suspeitos carregavam uma segunda mala.

O incidente ocorreu no estado alemão da Baviera, onde as autoridades locais foram confrontadas com três ataques distintos nos últimos dias. No domingo, um requerente de asilo sírio com ligações suspeitas com o grupo extremista "Estado Islâmico" (EI) se explodiu perto de um festival de música em Ansbach, ferindo 15 pessoas.

Na sexta-feira, nove pessoas foram mortas num ataque a tiros num centro comercial em Munique. Seis dias antes, quatro passageiros de um trem e um pedestre ficaram feridos após um ataque a machadadas próximo de Würzburg.

A Baviera é a principal porta de entrada para migrantes para a Alemanha, que recebeu um número recorde de 1,1 milhão de refugiados no ano passado.

PV/dpa/afp/ard

#gallerybig#