EUA apreendem cargueiro da Coreia do Norte | Notícias internacionais e análises | DW | 09.05.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

EUA apreendem cargueiro da Coreia do Norte

Governo americano afirma que embarcação violou sanções impostas ao regime norte-coreano. Medida aumenta pressão sobre Pyongyang, que em menos de uma semana fez dois testes de mísseis.

Wise Honest, cargueiro da Coreia do Norte

Wise Honest foi apreendida em abril de 2018 pela Indonésia

Os Estados Unidos anunciaram nesta quinta-feira (09/05) que apreenderam um dos principais cargueiros da Coreia do Norte, o Wise Honest, por violar as sanções impostas ao país pela comunidade internacional. Essa é a primeira vez que uma embarcação de Pyongyang é capturada neste contexto.

Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, a embarcação estava sendo utilizada para o transporte de carvão e maquinaria pesada, violando as sanções impostas ao regime de Kim Jong-un.

"A ação civil de hoje é a primeira apreensão de um cargueiro norte-coreano por violar as sanções internacionais", afirmou o promotor do Distrito Sul de Nova York, Geoffrey Berman, em comunicado divulgado pelo Departamento de Justiça.

O Wise Honest é um dos principais cargueiros do país e, segundo o governo americano, era usado para transportar de maneira ilícita carvão produzido pelas indústrias norte-coreanas e para trazer de volta maquinaria pesada para abastecer o regime de Kim Jong-un.

O comunicado divulgado pelo Departamento de Justiça diz que os pagamentos para a manutenção e para realizar melhorias na embarcação foram feitas em dólares e através do sistema financeiro americano. Essas operações também violam a legislação do país e as resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

O Departamento de Justiça tomou posse do cargueiro um ano após sua detenção na Indonésia. Em abril de 2018, a embarcação fora apreendida pelo governo indonésio após violar as sanções. Carregado com uma remessa de carvão estimada em 3 milhões de dólares, o navio entrou em águas indonésias com seu sistema de rastreamento desligado e operando com registros da Coreia do Norte e Serra Leoa. Na época, o capitão foi preso e acusado de navegar com uma bandeira falsa.

Diante dos usos ilícitos do navio, em julho de 2018, um juiz americano emitiu um mandato de captura da embarcação. Segundo autoridades dos EUA, o cargueiro foi confiscado da Indonésia e será rebocado até a Samoa Americana.

Uma resolução do Conselho de Segurança da ONU, aprovada contra a Coreia do Norte devido aos lançamentos de mísseis balísticos intercontinentais realizados pelo regime de Kim, proíbe, desde agosto de 2017, a venda de produtos minerais extraídos no país.

O texto também afirma que os governos devem proibir seus cidadãos de iniciar novos negócios com empresas e indivíduos norte-coreanos e, com certas exceções, expandir os já existentes.

A medida foi negociada pelos EUA com a China, principal aliado da Coreia do Norte na ONU, e se soma a outras sanções econômicas similares já aplicadas contra o governo de Kim Jong-un.

A apreensão do navio ocorreu horas depois de a Coreia do Norte ter lançado dois mísseis de curto alcance.  O lançamento foi o segundo em menos de uma semana e é mais um sinal de que o país está retomando o seu programa nuclear. O ato ocorre num momento no qual as conversações sobre a desnuclearização da península e as negociações com os EUA se encontram estagnadas. A divulgação de que agora o cargueiro está sob custódia dos Estados Unidos pode aumentar ainda mais a tensão.

CN/efe/lusa/afp/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais