EUA acreditam que mais de 20 milhões foram infectados pelo coronavírus | Notícias internacionais e análises | DW | 26.06.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

EUA acreditam que mais de 20 milhões foram infectados pelo coronavírus

País tem alta de contágios em cerca de 30 estados e maior cifra de novos casos diários desde o início da pandemia. Especialistas do governo dizem que país pode ter dez vezes mais caso que o reportado até agora.

Médico com roupa de proteção e máscara faz teste em ocupantes de carro

Membro de autoridade sanitária testa passageiro de carro nos EUA

Especialistas do governo dos Estados Unidos acreditam que mais de 20 milhões de americanos podem ter contraído o coronavírus – dez vezes mais que os números oficiais, indicando que muitos tiveram a doença sem terem sintomas.

O diretor dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Robert Redfield, afirmou que entre 5% a 8% da população americana foi infectada, segundo projeção baseada em testes serológicos usados para determinar a presença de anticorpos, que mostram se um indivíduo teve a doença.

Os EUA estão experimentando uma disparada nos números da pandemia de coronavírus, principalmente nos estados do sul e oeste. O país registrou nesta quinta-feira (26/06) a maior cifra de novos casos diários desde o início da crise de covid-19, com 39.972 infecções e 2.425 novas mortes, de acordo com a Universidade Johns Hopkins. O recorde anterior era de 36. 400 novos contágios, registrados em 24 de abril.

Foi reportado um aumento no número de casos em cerca de 30 estados. O crescimento das infecções, verificado principalmente nas áreas a sudoeste, corresponde a um ritmo de disseminação que não era registrado desde abril. Entre os mais atingidos estão Arizona, Califórnia, Texas e Flórida.

O aumento alarmante nos casos levou vários estados a interromper seus planos de reabertura, incluindo Oregon, Arizona, Utah e Texas.

Nesta quinta-feira, o Texas registrou número recorde de 5.996 novos contágios. O governo local anunciou que irá impor uma "pausa temporária" nas medidas de flexibilização, semanas depois de ter se tornado um dos primeiros a implementarem medidas de reabertura no país.

O número de novas infecções no estado ultrapassou durante três dias os 5 mil, e o número de hospitalizações dobrou em duas semanas. "Essa pausa temporária ajudará o nosso estado a reduzir a propagação até que possamos entrar com segurança na próxima fase de abertura do nosso estado para os negócios", disse em nota o governador Greg Abbott, republicano em seu segundo mandato.

No Arizona, foram reportadas 3.056 infecções adicionais nesta quinta-feira, no quarto dia seguindo em que o estado apresentou um aumento de casos superior a 3 mil.

Os contágios têm disparado após o governador republicano Doug Ducey ter decidido suspender mês passado as medidas de restrição. Nos últimos sete dias, 23% dos testes realizados no estado foram positivos, quase o triplo da média nacional. Ducey também anunciou uma pausa em seus planos de reabertura.

O Mississippi anunciou um recorde de 1.092 novos casos de coronavírus, a segunda vez nesta semana que a contagem diária do estado atingiu novos recordes.

Cerca de 2,4 milhões de pessoas contraíram a doença na maior economia do mundo, com mais de 124 mil mortos, segundo a Universidade Johns Hopkins.

MD/rtr/afp/ap

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais