Estado americano declara pornografia um perigo de saúde pública | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 20.04.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Estado americano declara pornografia um perigo de saúde pública

Com apoio do Partido Republicano e da Igreja Mórmon, resolução em Utah quer proteger cidadãos de uma "epidemia" de conteúdo sexual viciante. "Volume de pornografia é impressionante", diz governador.

Governador de Utah, Gary Herbert: Quero proteger nossas famílias e nossos jovens

Governador de Utah, Gary Herbert: "Quero proteger nossas famílias e nossos jovens"

Utah se tornou o primeiro estado americano a declarar formalmente a pornografia um perigo de saúde pública. Apoiada pelo Partido Republicano e a Igreja Mórmon, a decisão busca proteger seus cidadãos de uma "epidemia" de conteúdo sexual viciante.

Segundo o governo, a pornografia causa "um amplo espectro de repercussões para a saúde individual e pública" e danos sociais. Além de fazer com que os homens tenham menos vontade de casar, ela torna a violência contra mulheres e crianças algo banal, diz a resolução.

A lei foi assinada nesta terça-feira (19/04) pelo governador Gary Herbert, do Partido Republicano, após ter sido aprovada pelo poder legislativo, com apoio da Coalizão Utah Contra a Pornografia, mantida pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

"O volume de pornografia em nossa sociedade é impressionante. É um problema desenfreado, mas que vive em segredo e silêncio", disse Herbert na cerimônia de assinatura da lei em Salt Lake City, capital de Utah. "Quero proteger nossas famílias e nossos jovens."

A resolução insta o legislativo estadual a pesquisar o impacto da pornografia e investir na educação e esforços para prevenir a sua produção e utilização. Uma lei também exige que técnicos de informática relatem às autoridades se encontrarem pornografia infantil em computadores.

O senador republicano Todd Weiler defendeu a medida. "Não estamos gastando dinheiro e não estamos proibindo a população de nada", afirma. Em vez disso, a resolução pede para que os cidadãos cooperem na redução do consumo de material pornográfico, diz ele.

Em 2009, o pesquisador Benjamin Edelman, da Universidade Harvard, publicou um estudo que identifica Utah como o estado americano com a maior taxa de assinaturas de entretenimento adulto online, irritando autoridades conservadoras locais.

EK/afp/rtr

Leia mais